Futebol

God save the king: Bernardo Silva voltou a ser um “treble” na final da Taça de Inglaterra e City faz história

210

Mais uma competição, mais um troféu: City goleou Watford (6-0) na final da Taça de Inglaterra e conquistou um inédito treble (no futebol masculino, como destacou Guardiola) com Bernardo em destaque.

Bernardo Silva, aqui com o também ex-encarnado Ederson, conquistou o quarto título da temporada

Getty Images

Pep Guardiola tem vindo a somar títulos atrás de títulos, já realizou centenas de conferências e flashes antes e depois dos jogos mas ainda consegue surpreender os jornalistas de quando em vez, como aconteceu agora na antecâmara da final da Taça de Inglaterra. “Se o City ganhar o encontro pode tornar-se a primeira equipa a conseguir um treble no futebol inglês”, começou por se dizer na pergunta. “A primeira no futebol masculino, no feminino já foi conseguido”, corrigiu o espanhol, recordando o feito alcançado pelo Arsenal (até por mais do que uma vez) no decorrer da década de 90.

O técnico também consegue ser politicamente incorreto, como aconteceu na altura da independência da Catalunha onde chegou mesmo a ser multado pela Federação inglesa por usar o laço amarelo na lapela que simbolizava a causa catalã. No entanto, prima por um ponto cada vez mais importante no futebol nos dias que correm: sabe perceber como poucos o meio onde está envolvido. Por isso, aproveitou a oportunidade para puxar de novo para cima o futebol feminino, que cresce a cada dia que passa também em Inglaterra e que terá um ponto alto esta temporada com a realização do Campeonato do Mundo.

Guardiola é assim com tudo e não foi por acaso que passou a época inteira a elogiar Bernardo Silva. E porquê? Porque o português pensa o futebol em campo como o espanhol fora dele – daí que, se dependesse de si, o troféu para o Melhor Jogador da Premier League seria para o esquerdino. “Foi o melhor. E não é apenas na nossa equipa. Mas eu não voto. O Bernardo pode jogar incrivelmente bem aqui e em todo o lado. Basta dar-lhe uma equipa e ele jogará bem lá. Faz tudo bem. Teria lugar em qualquer equipa do mundo, de longe”, destacou após a vitória com o Brighton que selou o bicampeonato.

Na final da Taça de Inglaterra, o português voltou a ser um dos principais destaques do Manchester City, tendo feito a assistência para o segundo golo de Sterling ainda na primeira parte (38′) depois de David Silva ter inaugurado o marcador (26′). Esse acabou por ser o momento de um encontro que não teve muita história na primeira parte e teve ainda menos no segundo tempo, com o campeão inglês a chegar à goleada por 6-0 com golos de De Bruyne (61′), Gabriel Jesus (68′) e Sterling (81′ e 87′). E ainda pecou por escasso, com Bernardo Silva, que fez mais uma assistência para golo, a falhar isolado na área uma chance clara.

Desta forma, o City tornou-se na primeira equipa a conquistar na mesma temporada Campeonato, Taça de Inglaterra, Taça da Liga e Supertaça, falhando apenas naquele que será de novo o grande objetivo da equipa para a próxima temporada (caso não exista entretanto nenhum castigo da UEFA): a Liga dos Campeões, onde foi eliminado pelo Tottenham nos quartos. Para Bernardo Silva, foi o décimo título da carreira aos 24 anos: Campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga no Benfica; Campeonato no Mónaco; dois Campeonatos, uma Taça de Inglaterra, duas Taças da Liga e uma Supertaça no Manchester City. E com isso ajudou também o Wolverhampton, que assegurou assim a última vaga na Liga Europa em 2019/20.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)