As primeiras projeções à boca das urnas antecipam uma vitória para o Partido Trabalhista Australiano (ALP) nas eleições legislativas deste sábado na Austrália, com 52%, segundo o Canal 9-Galaxy, contra os 48% da coligação conservadora dos Liberais-Nacionais.

“Projeções antecipam más notícias para Scott Morrison”, escrevia o grupo conservador de media News Limited, referindo-se ao primeiro-ministro cessante, liberal, poucos minutos depois do fecho das primeiras urnas no leste do país. Os trabalhistas mostram-se mais confiantes, com Bill Shorten — que as sondagens apontam como o próximo primeiro-ministro — a dizer aos jornalistas que caso o seu Governo seja eleito começará a trabalhar “de imediato”.

“Estou confiante que os Trabalhistas vão vencer porque temos um plano positivo para uma mudança real que pare o caos”, disse Shorten.

A votação ainda decorre noutras zonas do país, devido à diferença horária, mas as televisões australianas já começaram a divulgar os primeiros resultados preliminares de contagem em vários pontos do país. Nestas eleições, a Câmara de Representantes terá mais um lugar, para um total de 151, com a coligação a partir com apenas um lugar de vantagem (73 contra 72) sobre os trabalhistas. Serão igualmente eleitos metade dos assentos do Senado, a câmara alta.

As eleições ocorrem depois de uma campanha tensa, com comentários nas redes sociais a levarem à demissão ou expulsão de vários candidatos, de várias forças políticas. O resultado final pode demorar mais a conhecer do que o normal — especialmente se os resultados forem próximos.

Este ano, mais de 4,7 milhões de eleitores votaram antecipadamente, o que condiciona o processo de contagem, com a Comissão Eleitoral a admitir que isso pode atrasar o anúncio dos resultados.

Normalmente, o resultado é conhecido cerca das 20h00 locais (11h00 em Lisboa).