Brexit

Eurodeputada pede investigação a Farage devido a doações de empresário britânico

Uma eurodeputada britânica liberal está a pedir que Nigel Farage seja investigado pelo Parlamento Europeu por não ter comunicado doações de Arron Banks, principal financiador da campanha pelo Brexit.

ANDY RAIN/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Uma eurodeputada britânica liberal está a pedir que o eurocético Nigel Farage seja investigado pelo Parlamento Europeu por não ter comunicado doações do empresário Arron Banks, principal financiador da campanha a favor do ‘Brexit’, segundo os ‘media’ britânicos.

A eurodeputada Catherine Bearder fez o pedido de uma investigação formal sobre as doações recebidas por Farage, atualmente líder do Partido ‘Brexit’ (força política que lidera as intenções de voto nas eleições europeias no Reino Unido), numa carta endereçada ao presidente do Parlamento Europeu (PE), Antonio Tajani, documento ao qual o jornal britânico The Independent teve acesso e citado este domingo pelo site Politico.

“Nigel Farage diz que é um homem do povo que enfrenta uma elite corrupta, mas ele tem sido pouco transparente sobre o seu estilo de vida luxuoso”, referiu Catherine Bearder, em declarações ao jornal britânico.

“Espero que haja uma investigação parlamentar completa para apurar porque é que estas alegadas viagens e subsídios não foram declarados de acordo com as regras parlamentares”, reforçou a eurodeputada britânica.

A imprensa britânica noticiou que Nigel Farage terá recebido doações na ordem das 450 mil libras (512 mil euros) do empresário Arron Banks, um dos co-fundadores do grupo Leave.UE, grupo de oposição à permanência do Reino Unido na União Europeia (UE).

De acordo com o britânico Channel 4 News, Farage não reportou ao Registo de Transparência do PE tais doações de Banks, nas quais estavam incluídas “um carro com um motorista, a renda e as despesas de uma casa em Chelsea e viagens luxuosas para os Estados Unidos”.

Farage, antigo líder do UKIP (Partido para a Independência do Reino Unido) e um dos principais rostos da campanha para a saída do Reino Unido da UE (‘Brexit’), negou tais alegações, segundo o Channel 4 News.

Mas, um porta-voz de Arron Banks confirmou, à estação britânica BBC, o montante total das doações, acrescentando que tinha sido “uma honra ajudar”.

Caso o eurodeputado Nigel Farage tenha infringido as regras, poderá enfrentar uma coima na ordem das 10 mil libras (cerca de 11,3 mil euros) e uma suspensão de dois a 30 dias.

A eurodeputada liberal Catherine Bearder lembrou ainda que a britânica Agência Nacional Anticrime (NCA, na sigla em inglês) está a investigar Arron Banks e o valor que este alocou à campanha do pró-Brexit.

Uma recente sondagem para as eleições europeias indicou que o Partido ‘Brexit’ de Nigel Farage lidera as intenções de voto no Reino Unido com 34%, mais do que o Partido Conservador e o Partido Trabalhista juntos.

De acordo com o estudo de opinião, o partido de Farage conseguiu aumentar a vantagem sobre o Labour (Trabalhistas), de Jeremy Corbyn, que está em segundo lugar, com 21% das intenções de voto.

Em terceiro lugar surgem os Liberais-Democratas, de Vince Cable, com 12% das intenções de voto, à frente dos Tories (Conservadores) da primeira-ministra, Theresa May, com apenas 11%.

O Reino Unido tinha inicialmente como data de saída da UE 29 de março, mas, na falta da aprovação do acordo pelo parlamento, a UE aceitou prolongar o prazo até 31 de outubro.

O Reino Unido pode sair em qualquer data antes desse novo prazo, mas, não o fazendo até 23 de maio, é legalmente obrigado a participar nas eleições para o PE.

Os britânicos votam nas europeias na próxima quinta-feira (dia 23 de maio) e elegem 73 eurodeputados.

As eleições europeias são realizadas de 23 a 26 maio nos 28 países da UE.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Brexit

Boris haircut 

Luís Gouveia Fernandes
139

Quando Chamberlain se esgotou a assinar acordos que não acordavam nada, foi substituído por Churchill. Boris Johnson já cortou o cabelo, não sei como vai fazer, mas torço por ele. They’re coming home!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)