INEM

Atividade económica diminui em março e clima económico estabiliza em abril

De acordo com o INE o indicador de atividade económica desceu de 2,1 pontos em fevereiro para 2,0 pontos em março e o indicador de clima económico, disponível até abril, manteve-se nos 2,3 pontos.

Considerando a atividade económica da perspetiva da produção, os índices de volume de negócios na indústria e nos serviços desaceleraram, enquanto o índice de produção da indústria diminuiu

MARIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O indicador de atividade económica diminuiu em março e indicador de clima económico estabilizou em abril, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, em Portugal, o indicador de atividade económica desceu de 2,1 pontos em fevereiro para 2,0 pontos em março e o indicador de clima económico, disponível até abril, manteve-se nos 2,3 pontos.

Segundo a “Síntese Económica de Conjuntura” do INE, o indicador quantitativo do consumo privado acelerou em março, “verificando-se uma aceleração da componente de consumo corrente e uma desaceleração da componente de consumo duradouro”.

Em aceleração no mês de março esteve também o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (investimento), “devido ao contributo positivo mais intenso das componentes de máquinas e equipamentos e de construção, enquanto a componente de material de transporte apresentou um contributo positivo menos intenso”.

Considerando a atividade económica da perspetiva da produção, os índices de volume de negócios na indústria e nos serviços desaceleraram, enquanto o índice de produção da indústria diminuiu. Por sua vez, o índice de produção na construção acelerou.

Na área do euro, em abril, o indicador de confiança dos consumidores estabilizou e o indicador de sentimento económico diminuiu, com os preços das matérias-primas e do petróleo a apresentarem variações em cadeia de -0,4% e 8,4% respetivamente (-0,4% e 3,9% em março).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Saúde

O estado da saúde /premium

Manuel Villaverde Cabral

Não é por acaso que o João Lobo Antunes escrevia, a propósito da implantação do estado social em Portugal, que "a corporação médica tinha uma hegemonia monopolista e esta tendência persistiu até hoje"

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)