Wendel, jogador do Sporting, foi detido esta quarta-feira por conduzir sem carta. De acordo com a TVI, o brasileiro circulava na zona de Alcochete, perto da Academia do clube, acompanhado pela mulher e outros familiares quando foi apanhado numa fiscalização de rotina. Foi entretanto ouvido pela GNR, numa altura em que faltam três dias para a final da Taça de Portugal, onde o Sporting defronta o FC Porto.

A TVI indica ainda que o médio de 21 anos admitiu desde logo que não tinha carta de condução e não ofereceu qualquer resistência à detenção. Wendel foi constituído arguido e ficou com termo de identidade e residência, sendo presente a juiz esta quinta-feira, por volta das 10h, no Tribunal do Montijo.

Já durante a noite, o futebolista brasileiro confirmou a veracidade das notícias através de uma publicação nas suas redes sociais. Wendel publicou uma mensagem em que afirmava estar “em casa, em família e arrependido” e prometia foco “na final de sábado”.

O jogador brasileiro está em Portugal desde janeiro de 2018, altura em que foi contratado pelo Sporting ao Fluminense, e afirmou-se na equipa e no habitual onze inicial desde a chegada de Marcel Keizer ao comando técnico dos leões, em novembro do ano passado. Em abril, Wendel esteve sob a alçada disciplinar do Sporting por ter viajado até Turim para assistir ao Juventus-Ajax, dos quartos de final da Liga dos Campeões, sem autorização do clube. O médio acabou por falhar a deslocação à Madeira para defrontar o Nacional, tendo ainda pago uma avultada multa pecuniária.

Em abril de 2018, perante a escassa utilização, Wendel teve alguns desabafos nas redes sociais que caíram mal entre responsáveis leoninos, nomeadamente quando escreveu “Deus, se não fosse você não suportaria esse mundo”, interpretado como uma crítica pela falta de oportunidades de Jorge Jesus. Nessa altura, o UOL Esporte falou num conflito entre SAD e treinador por causa do médio brasileiro, que de acordo a publicação teria sido contrato sem o aval do antigo técnico leonino.

Já esta temporada, depois da paragem para os compromissos das seleções nacionais, o brasileiro esteve afastado da equipa principal trabalhando com os Sub-23 por ter chegado atrasado à Academia e pela atitude nos treinos. No entanto, com a chegada de Marcel Keizer ao comando da formação verde e branca, Wendel conseguiu ganhar um lugar no meio-campo com Gudelj e Bruno Fernandes, algo que se manteve durante quase todos os encontros a não ser por lesão ou castigo, levando nesta fase um total de 2.437 minutos em 32 jogos entre Campeonato, Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga Europa.