Meses depois da morte da Aretha Franklin, foram agora encontrados três testamentos escondidos na casa da cantora, avança a BBC.

Dois dos testamentos são de 2010 e foram localizados num armário que estava trancado. O outro, mais recente, é datado de março de 2014 e estava escondido por baixo das almofadas do sofá da sala de estar, segundo o advogado de Franklin.

Em agosto do ano passado, quando Franklin morreu de cancro do pâncreas, os seus familiares disseram que Aretha não teria deixado nenhum testamento.

Apesar de a letra do testamento ser muito difícil de decifrar e as páginas terem palavras riscadas e frases escritas nas margens, David Bennett, que foi advogado de Franklin por mais de 40 anos, disse a um juiz que não tinha a certeza se estes seriam legais sob a lei de Michigan.

O advogado acrescentou que os testamentos foram partilhados com os quatro filhos de Franklin mas que não chegaram a um acordo sobre se algum deles deveria ser considerado válido. Disse ainda que dois dos seus filhos se opuseram ao testamento. Está marcada uma audiência para 12 de junho.

Franklin morreu a 16 de agosto, aos 76 anos. Venceu 18 prémios Grammy, foi a primeira mulher a entrar no Rock and Roll Hall of Fame, e vendeu mais de 75 milhões de discos.

Aretha Franklin foi uma das vocalistas mais famosas dos anos 60 e 70. Participou nas tomadas de posse de presidentes como Bill Clinton e Barack Obama. Teve ainda oportunidade de cantar com artistas como Stevie Wonder, James Taylor ou até os Backstreet Boys.

Foi recentemente honrada com um Prémio póstumo “Pulitzer”.

A rainha da soul, a voz gloriosa da América: morreu Aretha Franklin