A metalúrgica britânica British Steel, propriedade do grupo de investimentos Greybull Capital, anunciou esta quarta-feira que declarou insolvência depois ter fracassado a negociação com o governo para aceder ao financiamento, pondo em risco mais de 5.000 postos de trabalho.

A British Steel, que enfrentou problemas durante anos e ultimamente acusou os efeitos do processo do ‘Brexit’, ficará provisoriamente nas mãos de um gestor do Estado, enquanto a consultora EY trata de encontrar um comprador para o negócio.

O funcionário do governo encarregado da insolvência, denominado ‘official receiver’, explicou que “a empresa continuará a comercializar e a fornecer os clientes” e que os empregados continuarão a receber, enquanto se avaliam “as opções” para o futuro.

O ministro de Empresas, Greg Clark, afirmou, por sua vez, que o executivo “trabalhou duramente com a British Steel, com os proprietários da Greybull Capital e vários bancos para explorar todas as opções para encontrar uma solução”.

Clark sublinhou que o Governo demonstrou a “vontade de atuar” ao facilitar anteriormente 120 milhões de libras (136 milhões de euros) para cobrir os custos da metalúrgica relativos a emissões para o meio ambiente.

O ministro disse que o executivo deve atuar “dentro da lei”, que só lhe permite apoiar a empresa “sobre uma base comercial”, o que exclui, segundo os seus assessores, proporcionar avais ou empréstimos nos termos requeridos pela empresa.

A falência da empresa, a segunda do setor no Reino Unido, atinge cerca de 5.000 empregos diretos nas suas fábricas neste país, em França e na Holanda e potencialmente outros 20.000 na cadeia de fornecimento, indicam os sindicatos, que pedem a nacionalização da empresa até que se resolva o futuro.

A British Steel, que foi adquirida pela Greybull Capital da indiana Tata Steel pelo preço simbólico de uma libra em 2016, foi atingida pela queda da procura, sobretudo de países europeus devido ao ‘Brexit’, pela depreciação da libra britânica e a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China.

O sub-secretário-geral do sindicato Unite, Steve Turner, instou hoje o Governo a “nacionalizar a British Steel até que se encontre um comprador, a fim de evitar uma catástrofe industrial e económica”, e pediu para que a Greybull “preste contas pela sua gestão”.

Já o dirigente do sindicato GMB Tim Roache lamentou as “devastadoras notícias” para os empregados das fábricas de Scunthorpe e Teeside (centro e norte de Inglaterra) e que “os sucessivos governos não tenham cumprido a promessa de proteger o orgulhoso legado industrial” do país.

O Partido Trabalhista britânico, dirigido por Jeremy Corbyn, também pediu a nacionalização da British Steel, que é recusada pelo Governo liderado pela conservadora Theresa May.