Energia Solar

Câmara de Lisboa vai construir central fotovoltaica em Carnide no valor de 2ME

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou por unanimidade a contratação da empreitada de construção de uma central fotovoltaica junto ao cemitério de Carnide, no valor de dois milhões de euros.

PAULO NOVAIS/LUSA

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou esta quinta feira, por unanimidade, a contratação da empreitada de construção de uma central fotovoltaica junto ao cemitério de Carnide, no valor de dois milhões de euros.

Segundo a proposta, à qual a Lusa teve acesso, a autarquia vai lançar um concurso limitado por prévia qualificação com publicidade internacional.

“O preço máximo a que a Câmara Municipal de Lisboa se encontra disposta a pagar pela execução de todas as prestações que constituem objeto desta empreitada” encontra-se “fixado no caderno de encargos com o preço base de dois milhões de euros”, sem IVA, dá conta o documento assinado pelos vereadores do Urbanismo e do Ambiente, Manuel salgado (PS) e José Sá Fernandes (Cidadãos por Lisboa, eleito na lista do PS), respetivamente.

O adjudicatário terá um mês após a celebração do contrato para entregar o projeto, seis meses após aprovação do mesmo “para fazer a obra/fazer a receção provisória da central e obtenção do certificado de exploração”, e o “prazo de dois anos para a operação e manutenção, a contar da obtenção do certificado de exploração”, acrescenta a proposta, discutida em reunião privada do executivo.

A construção da central fotovoltaica insere-se numa “estratégia de mobilidade sustentável”, na qual o município pretende criar “incentivos destinados a promover a substituição de combustíveis fósseis por energia elétrica para o abastecimento de veículos de transporte público municipais de passageiros”.

O executivo liderado pelo socialista Fernando Medina propõe ainda que o investimento seja repartido em quatro anos, sendo que a câmara investirá 212 mil euros este ano, 1,9 milhões para o ano e 10.600 euros em cada um dos anos seguintes (2021 e 2022).

A autarquia já tinha anunciado em julho do ano passado que esperava ter uma central fotovoltaica a funcionar em Carnide em 2020, para abastecer veículos elétricos e reduzir a energia fóssil na cidade.

Sá Fernandes disse na altura estimar que até 2020 a capital tenha uma linha de elétrico, 20 autocarros e 50 veículos afetos à recolha de resíduos a serem abastecidos através de energia solar.

Esta central deverá ter uma capacidade inicial de 2 megawatt (MW), foi revelado à data.

Na reunião desta quinta feira, a autarquia aprovou igualmente, por unanimidade, a contratação da empreitada ‘Unidade de Projeto da Avenida de Ceuta’, através de um concurso público, cujo preço base é de 3,1 milhões de euros.

Esta obra, que se encontra enquadrada no Corredor Verde do Vale de Alcântara, vai “permitir a entrega de parte do caudal da água tratada na Estação de Tratamento de Águas Residuais de Alcântara ao espaço público, revelando à superfície a presença da água que hoje é entregue ao rio”, avança a proposta assinada por Manuel Salgado e José Sá Fernandes.

A repartição de encargos prevista para a empreitada, cujo prazo de execução é de 270 dias, é de cerca de 735 mil euros este ano, 2,6 milhões no próximo e cerca de seis mil euros em 2021.

A Câmara de Lisboa aprovou ainda a adjudicação da empreitada de requalificação dos espaços exteriores do Hub Criativo do Beato à empresa ABB-Alexandre Barbosa Borges, no valor de 3,6 milhões de euros (com IVA), com um prazo de execução de seis meses, acrescidos de 12 meses de prazo contratual de manutenção dos espaços verdes.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)