Fernando Santos anunciou esta quinta-feira os 23 convocados de Portugal para a Liga das Nações, nova competição do calendário da UEFA que terá a Final Four organizada no Porto e em Guimarães com a Seleção Nacional a defrontar a Suíça por um lugar no jogo decisivo no dia 5, antes da outra meia-final que se disputará entre Inglaterra e Holanda.

A manutenção de Diogo Jota e Dyego Sousa acabou por ser o principal ponto de destaque da convocatória, que confirmou ainda as já esperadas chamadas de Cristiano Ronaldo e João Félix, que tinha ficado de fora do Mundial Sub-20. Em comparação com a lista do último Mundial, da Rússia, saem Anthony Lopes, Bruno Alves, Cédric, Ricardo Pereira, Adrien Silva, João Mário, Manuel Fernandes, André Silva, Gelson Martins e Ricardo Quaresma. No entanto, e olhando para a última convocatória para os jogos com Ucrânia e Sérvia, as alterações são bem menores, apenas com as ausências de João Mário e André Silva.

A lista final de eleitos para a fase final da competição é a seguinte:

– Guarda-redes (3): Rui Patrício (Wolverhampton), Beto (Goztepe) e José Sá (Olympiacos)
– Defesas (7): João Cancelo (Juventus), Nelson Semedo (Barcelona), José Fonte (Lille), Pepe (FC Porto), Rúben Dias (Benfica), Raphael Guerreiro (B. Dortmund) e Mário Rui (Nápoles)
– Médios (6): Danilo (FC Porto), William Carvalho (Betis), Rúben Neves (Wolverhampton), Pizzi (Benfica), Bruno Fernandes (Sporting) e João Moutinho (Wolverhampton)
– Avançados (7): Rafa Silva (Benfica), Gonçalo Guedes (Valência), Bernardo Silva (Manchester City), João Félix (Benfica), Cristiano Ronaldo (Juventus), Diogo Jota (Wolverhampton) e Dyego Sousa (Sp. Braga)

“Esta fase final só tem dois jogos e o tempo de preparação é mais curto. Se falarmos de uma fase final de uma grande prova, com três semanas de preparação, há tempo para recuperar os jogadores e até particulares para dar ritmo. Agora vamos entrar em treino, vamos chegar ao Porto e, dois dias depois, estamos a jogar. Vamos fazer o mesmo de sempre porque o mais importante nesta fase da época, com os jogadores com grande desgaste físico e mental, é que recuperem mentalmente. Temos de lhes dar essa frescura. Consegue-se isso mantendo o equilíbrio entre o treino e o repouso natural dos jogadores. Na primeira semana temos só treinos, é como se os jogadores estivessem no clube, para estarem com as famílias”, explicou Fernando Santos.

“Disputar um título é sempre importante. Quer em particulares quer em jogos oficiais, o público está sempre com Portugal. Tem mostrado isso em todas as competições e nesta não vai fugir à regra. Esta prova é diferente, a primeira fase foi por pontos mas agora é ‘mata-mata’ imediato”, acrescentou o selecionador nacional.