Indonésia

Seis mortos, 200 feridos e 257 pessoas detidas em Jacarta em confrontos com a polícia

Nos confrontos que surgiram com o anúncio da reeleição do Presidente indonésio, Joko Widodo já houve pelo menos seis mortos, mais de 200 feridos registados e já foram detidas 257 pessoas.

Na quarta-feira, o ministro da Segurança indonésio, Wiranto, anunciou que o acesso às redes sociais em certas zonas ia ser limitado

EPA/MAST IRHAM

Autor
  • Agência Lusa

Pelo menos 257 pessoas foram detidas em Jacarta, na sequência dos confrontos que começaram na terça-feira, após o anúncio da reeleição do Presidente indonésio, Joko Widodo, anunciou esta quinta-feira a polícia.

Em conferência de imprensa, o porta-voz da polícia de Jacarta, Prabowo Argo Yuwono, ligou as detenções à destruição de propriedade e incitação à violência.

Na quarta-feira à noite, os manifestantes lançaram pedras e outros objetos contra a polícia de intervenção, que respondeu com granadas de gás lacrimogéneo, balas de borracha e centenas de detenções.

Pelo menos seis mortos e mais de 200 feridos foram já registados na sequência dos confrontos entre a polícia e centenas de defensores do candidato presidencial derrotado, o ex-general Prabowo Subianto.

O mesmo porta-voz da polícia indicou que as mortes foram causadas por disparos e agressões com objetos contundentes. Prabowo Argo Yuwono negou que as autoridades tenham recorrido a munições e responsabilizou os manifestantes pelo uso de armas de fogo.

O número oficial de feridos é de 200, embora fontes de vários hospitais tenham comunicado à agência noticiosa indonésia Antara que o número de feridos é superior a 350, muitos dos quais já tiveram alta.

Na quarta-feira, o ministro da Segurança indonésio, Wiranto, anunciou que o acesso às redes sociais em certas zonas ia ser limitado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
10 de junho

A função social da esquerda /premium

Rui Ramos

Talvez a direita, noutros tempos, tenha tido o papel de nos lembrar que não somos todos iguais. As reacções ao discurso de João Miguel Tavares sugerem que essa função social é hoje da esquerda.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)