Em matéria de desportivos emocionantes, há os que visam a máxima eficácia com algumas concessões ao conforto e depois há os GT, de Grand Turismo, desportivos ligeiramente mais civilizados – mas pouco –, que visam satisfazer os condutores de idade mais avançada e esqueleto com mais quilómetros, por isso mesmo a apreciar um pouco mais de conforto.

Para agradar a esta última classe de clientes, a McLaren concebeu o GT, um veículo que continua a ser potente, eficaz e incrivelmente rápido, mas não não apresenta um interior despido para ganhar uns quilos, ou uma suspensão extremamente dura, a pensar nos track days.

O novo McLaren GT recorre a nova estrutura em fibra de carbono, a MonoCell II-T, que aqui surge com 4,68 metros de comprimento (bastante longa para um superdesportivo de dois lugares). Cortesia da abundância em carbono, o GT pesa apenas 1.530 kg, isto apesar de recorrer ao mesmo motor biturbo de 720 cv, um imponente 4.0 V8, que além da potência ímpar, fornece ainda uma “força” de 630 Nm.

Acoplado a uma caixa automática com sete velocidades, o GT é capaz de alcançar 326 km/h e atingir os 100 km/h em somente 3,2 segundos, o que o coloca no topo do mundo, especialmente se tivermos presente que o seu preço, no Reino Unido, é de apenas 163.000 libras, cerca de 183.000€.

As entregas das primeiras unidades do mais civilizado dos McLaren vão ter lugar a partir do fim de 2019, com os clientes a terem a garantia que, desta vez, o McLaren vai ter direito a exibir uns confortáveis bancos em pele, tão envolventes quanto é habitual, mas agora mais fofos e confortáveis, a que o fabricante britânico alia um sistema áudio da Bowers & Wilkins, um sistema de navegação e entretenimento à altura e uns assentos com regulação eléctrica. Isto e uma bagageira com 420 litros – onde até cabe um saco de golfe –, atrás, que soma a sua capacidade à mala que existe à frente, com 150 litros.