Rádio Observador

Sata

Voos diretos entre a ilha Terceira e Toronto alargados ao inverno

A partir de 5 de dezembro será iniciada uma ligação direta que estende-se até outubro de 2020, entre Toronto no Canadá e a ilha Terceira nos Açores, os voos são operados pela Azores Airlines.

No total, serão realizadas entre dezembro de 2019 e outubro de 2020 mais 30 rotações do que em igual período no ano anterior, o que corresponde a mais 11.160 lugares e a um aumento de 176%

MARIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Os voos diretos entre a ilha Terceira e Toronto (Canadá), operados pela companhia aérea açoriana Azores Airlines, do grupo SATA, vão estender-se ao inverno, em 2019 e 2020, anunciou esta quinta-feira o Governo Regional dos Açores.

“A partir do próximo dia 05 de dezembro será iniciada uma operação aérea de ligação entre Toronto e a Terceira. Esta operação é levada à prática pela Azores Airlines e decorrerá até ao dia 22 de outubro de 2020”, adiantou a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha, em Angra do Heroísmo, numa conferência conjunta com a secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, Marta Guerreiro.

No total, serão realizadas entre dezembro de 2019 e outubro de 2020 mais 30 rotações do que em igual período no ano anterior, o que corresponde a mais 11.160 lugares e a um aumento de 176%.

“Serão oferecidas 47 rotações, correspondendo a 94 voos entre Toronto e a Terceira, 17 dos quais no inverno e 30 no verão”, avançou Ana Cunha, acrescentando que no total serão disponibilizados 17.484 lugares.

O executivo açoriano vai ainda lançar um concurso público para a realização de ações de ‘marketing’ e de promoção do destino junto do mercado canadiano, mas não são conhecidos ainda os valores do investimento.

“O mercado norte-americano é um dos mercados identificados no PEMTA [Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo dos Açores] como um dos mercados estratégicos”, frisou a secretária regional do Turismo, destacando o crescimento já verificado no número de turistas e nas receitas provenientes desse mercado.

Nos primeiros três meses de 2019, a ilha Terceira registou uma quebra de 17,3% nas dormidas nos diversos tipos de alojamento existentes, contrariando o crescimento de 11,4% registado em média no arquipélago.

A descida, justificada sobretudo com a suspensão dos voos diretos entre a Terceira e Madrid (Espanha), motivou críticas de empresários e de partidos da oposição.

Marta Guerreiro criticou as “visões mais cinzentas relativamente ao turismo” na ilha Terceira e defendeu que o destino tem “potencial”, necessitando apenas de “empenho, dinamismo comercial, cooperação e esforços de todos”.

A governante assegurou que a ligação direta a Madrid será “retomada ainda este ano” e lembrou que entre fevereiro e maio foram registadas 1.600 dormidas na hotelaria tradicional da ilha, na sequência de campanhas desenvolvidas em parceria com operadores nacionais.

A secretária regional do Turismo destacou ainda o acordo ‘interline’ virtual, da Azores Getaways, que disponibiliza, até março de 2020, pacotes e voos combinados entre a Delta Airlines e a SATA Air Açores, para que os passageiros que voam para Ponta Delgada (S. Miguel) possam chegar às restantes ilhas.

A companhia norte-americana Delta Airlines efetua voos diretos entre Nova Iorque e Ponta Delgada, todos os dias da semana, até 04 de setembro.

“No verão do ano passado, mesmo sem o ‘interline’, cerca de 8% dos passageiros desta rota visitaram a ilha Terceira”, apontou Marta Guerreiro.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)