Eleições Europeias

Irlanda. Sondagens dão vitória ao centro-direita do Fine Gael, mas a grande surpresa é o resultado dos Verdes

111

Sondagens à boca das urnas dão vitória ao Fine Gael (centro-direita). Mas a surpresa eleitoral deve ser o resultado dos Verdes, que vencem Dublin e elegem os primeiros eurodeputados desde 1999.

Eleitores numa assembleia de voto na Irlanda

AFP/Getty Images

Um “tsunami verde”. É esse o cenário que se prevê nas eleições Europeias na Irlanda, de acordo com a mais recente sondagem à boca das urnas, que aponta para um regresso estrondo dos Verdes no país, recuperando os eurodeputados que tinha perdido em 2004 e indiciando um possível regresso de peso à política nacional com o bom resultado nas eleições locais que também se votaram esta sexta-feira.

A sondagem à boca das urnas mais recente, da Red C, foi publicada pela televisão irlandesa RTÉ este sábado. De acordo com o estudo, o vencedor das eleições deverá ser o partido de centro-direita Fine Gael (membro do PPE) com cerca de 28,7%, seguido dos liberais do Fianna Fáil (membro do ALDE). Os Verdes (que pertencem aos Verdes Europeus) surgem em terceiro (14,8%), ultrapassando a esquerda republicana do Sinn Féin (13%) — que no Parlamento Europeu se sente com o Grupo da Esquerda Europeia.

Quanto à distribuição dos 13 eurodeputados a que a Irlanda tem direito, a sondagem dá como certo que o Fine Gael eleja três (Frances Fitzgerald em Dublin, Mairéad McGuinness pelas Midlands do Noroeste e Seán Kelly no sul). De acordo com a análise do Irish Times, há ainda uma forte possibilidade de o partido manter a quarta eurodeputada, Maria Walsh, também pelas Midlands.

Já quanto aos Verdes, o partido deverá ser o mais votado em Dublin, elegendo um eurodeputado nesse círculo eleitoral, e também está na luta para eleger um deputado no sul e outro nas Midlands. Os restantes partidos de esquerda, contudo, ressentem-se com essa onda verde: o Sinn Féin, atualmente com três eurodeputados, pode perder o lugar de Lynn Boylan pelo círculo de Dublin e o Labour não deve conseguir eleger nenhum candidato.

O candidato à presidência da Comissão Europeia do PPE, família a que pertence o Fine Gael, já reagiu a estas previsões: “Parece que haverá resultados fortes do Fine Gael nas eleições Europeias na Irlanda”, escreveu Manfred Weber no Twitter, agradecendo ao primeiro-ministro irlandês e líder do partido Leo Varadkar.

Já o líder dos Verdes, Eamon Ryan, reagiu de forma muito positiva a esta sondagem: “Se regressarmos [ao Parlamento Europeu] com três lugares seria uma história europeia incrível, porque o próximo Parlamento Europeu é crítico e o seu equilíbrio está dependente de partidos como o nosso”, afirmou à RTE. “Há uma onde da consciência pública verde na Irlanda. Está a varrer a Europa e acho que aterrou aqui”, acrescentou.

A vitória dos Verdes é ainda mais relevante porque os 14,8% dos votos projetados contrastam com os menos de 5% obtidos nas eleições Europeias de 2014. A última vez que o partido elegeu eurodeputados foi nas Europeias de 1999. A confirmar-se, será o melhor resultado de sempre para os Verdes irlandeses desde que foram criados em 1981, recorda a Euronews.

O resultado, que é acompanhado de boas projeções também a nível local, é particularmente surpreendente porque o partido perdeu toda a força política que em tempos teve ao longo dos últimos dez anos. O Irish Times relembra que há oito anos o partido perdeu os seis lugares que detinha no Parlamento, os três mandatos no Senado, e não foi além dos 2% a nível nacional, perdendo direito à subvenção estatal. Com este resultado nas Europeias e nas eleições locais, o partido da esquerda ambientalista — que chegou a coligar-se com os liberais do Fianna Fáil no Governo — regressa em força. “É mais do que uma subida, é uma torrente”, avalia o jornal.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbruno@observador.pt
Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina
134

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Eleições Europeias

Os ventos que sopram da Europa

Jose Pedro Anacoreta Correira

É preciso explicar que o combate pela redução de impostos não significa menos preocupação social. É precisamente o inverso: um Estado menos pesado contribui para uma sociedade mais justa. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)