Ambiente

Morgade boicota voto nas Europeias. “Estamos aqui hoje porque somos contra o lítio”

384

A população de Morgade não é necessariamente contra a Europa, mas o boicote ao voto e o apelo à abstenção é uma forma de protesto contra a instalação de uma mina de lítio na região.

Às 8 horas, a secção de voto estava fechada a cadeado

PEDRO SARMENTO COSTA/LUSA

Dezenas de populares de Morgade, concelho de Montalegre, estão este domingo a fazer um “voto de protesto” contra a instalação de uma mina de lítio a céu aberto nesta freguesia, recusando-se a votar nas eleições europeias.

“Estamos a fazer um voto de protesto, ou seja, recusamos votar porque não concordamos com aquilo que o nosso Governo está a fazer com a nossa terra. Se é este tipo de desenvolvimento que eles querem para o Interior, nós não concordamos”, afirmou à agência Lusa Armando Pinto, porta-voz da Associação Montalegre Com Vida. Esta associação está em fase de legalização e tem como objetivo lutar contra a exploração de lítio na freguesia, numa altura em que já foi assinado o contrato de exploração entre o Estado português e a empresa Lusorecursos.

Em Morgade foi feito um apelo à abstenção e esta manhã as portas da secção de voto foram fechadas a cadeado, tendo sido chamada a GNR e um serralheiro para abrir o edifício da junta de freguesia.

Durante a manhã concentraram-se cerca de 50 pessoas perto da sede da Junta de Freguesia e pela aldeia foram também colocadas tarjas de grande dimensão onde a principal mensagem que se pode ler é “não à mina, sim à vida”. “Nós não queremos uma mina a céu aberto na nossa freguesia que vai afetar as três aldeias, uma mina com 800 metros de diâmetro e com 350 metros de profundidade, que irá trabalhar 24 horas por dia, durante todo o ano”, salientou Armando Pinto.

O responsável frisou que a população não “quer abdicar da qualidade de vida” e que o protesto deste domingo pretende ser uma “chamada de atenção” para o Governo português e a União Europeia. “Estamos aqui hoje porque somos contra o lítio. Vão destruir toda a paisagem e não podem continuar assim, a fazer pouco desta gente”, afirmou Maria Fernanda, 60 anos, que se juntou ao protesto e garantiu que hoje também não vai votar.

Rogério Nóbrega, 44 anos, também não vota porque a população tem “que estar toda unida e todos do mesmo lado” e porque o “projeto do lítio vai afetar muito a vida de todos”. “Por isso hoje não votamos”, reforçou. Rogério Nóbrega queixou-se da falta de informação sobre a exploração do lítio na localidade. “Quando demos conta que este projeto tinha pernas para andar já foi tarde. Acordamos um pouco tarde, mas acho que ainda vamos a tempo de lutar e tentar evitar que venham para aqui destruir a nossa natureza e a nossa vida”, salientou.

Jorge Gonçalo, 61 anos, foi o primeiro a votar em Morgade, pelas 10h10. “Não vou cumprir este apelo à abstenção porque cheguei aqui hoje e não tinha conhecimento nenhum do que se estava a passar (…) Hoje vou votar porque é o meu dever cívico”, afirmou. Este residente em Morgade disse que “não concorda ou discorda com o protesto”. “Não tenho conhecimentos que me facultem tomar uma boa decisão”, referiu.

A Lusorecursos já anunciou um plano de negócios para implementar na freguesia de Morgade, onde prevê investir cerca de 500 milhões de euros, criar à volta de 500 postos de trabalho e implementar uma unidade industrial onde será feita a separação dos vários minerais que vão sair da exploração e processado o hidróxido de lítio a utilizar nas baterias elétricas. A empresa está, neste momento, a fazer o Estudo de Impacto Ambiental (EIA).

Nesta freguesia do distrito de Vila Real, que agrega as aldeias de Morgade, Carvalhais e Rebordelo, estão inscritos 329 eleitores. Cerca de 10,7 milhões de eleitores são hoje chamados a eleger os 21 deputados portugueses ao Parlamento Europeu, numas eleições a que concorrem 17 listas. Votam para as eleições ao Parlamento Europeu cerca de 400 milhões de cidadãos dos 28 países da União Europeia, que elegem, no total, 751 deputados.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Medicina

Reflexões de um jovem médico dentista

Luís Pereira Azevedo

77% dos Médicos Dentistas formados há menos de 2 anos têm uma remuneração inferior a 1500 euros brutos mensais. É grande a situação de precariedade e incerteza com que a profissão atualmente se depara

Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)