As últimas horas têm sido algo frenéticas no que diz respeito à possibilidade de estar prestes a constituir-se um novo 3º grupo automóvel mundial. Depois de a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) ter anunciado que endereçou uma proposta de fusão a 50/50 ao Grupo Renault, este não só confirmou que efectivamente essa operação estava em cima da mesa, como veio depois informar que iria estudar o negócio proposto. Ora, quando tudo indica, até ao momento, que a operação colhe pareceres favoráveis das diferentes partes envolvidas, a Reuters avança que a decisão deverá ser tomada já no decorrer da próxima semana.

Com base em fontes próximas do grupo gaulês, a agência noticiosa escreve que não se fará tardar a reacção do Grupo Renault, estando mesmo previsto que a deliberação final, por parte do conselho de administração, seja tornada pública algures no decorrer da próxima semana. Então saberemos se as negociações têm ou não “luz verde” para avançar.

Recorde-se que, além de uma participação equitativa para ambos os grupos, a nova organização, resultante de uma hipotética fusão FCA/ Grupo Renault, aportaria uma poupança anual estimada em 5.000 milhões de euros. Tão importante quanto isso, o novo grupo passaria a enquadrar uma oferta de marcas que cobriria praticamente todos os segmentos, desde o “alto luxo” ao “mais baratinho”. Ou, escrito de outra forma, do luxury premium ao low cost.

As vantagens estendem-se, naturalmente, à abordagem de mercados. E aí não será de subvalorizar o facto de a FCA ter uma presença muito forte nos Estados Unidos da América, onde a Renault não está presente.