Uma criança e um homem com 30 anos morreram num esfaqueamento em massa que ocorreu esta terça-feira, em Kawasaki, no Japão. Segundo o Japan Times, outras 16 pessoas — incluindo 15 alunas do ensino primário — ficaram feridas e o atacante acabou por se golpear a ele mesmo.

O atacante seria um homem na casa dos 50 anos que acabou por morrer também, resultado de ferimentos auto-inflingidos com as mesmas facas que utilizou no ataque. A polícia da prefeitura de Kanagawa explicou que as vítimas eram crianças que aguardavam pelo autocarro escolar numa paragem em Tama Ward, perto da estação de Naborito. Eram alunas da escola primária Caritas, uma unidade de ensino privada de orientação católica.

A mesma fonte policial revelou ainda que o homem empunhava duas facas, que já foram apreendidas pelas autoridades. “Ouvi as sirenes dos bombeiros de manhã e vi um homem deitado n chão, a sangrar”, revelou uma testemunha ocular à cadeita de televisão nipónica NHK. “Vi muitas crianças pequenas deitadas no chão, também, ao pé da paragem do autocarro escolar. Mochilas estavam espalhadas por todo o lado”, acrescentou. “Havia outro homem deitado a sangrar, perto dessa paragem de autocarro”, explicou.

Representantes da escola primária não confirmaram que as vítimas eram alunas da instituição, afirmando ainda não ter informações suficientes para o afirmar com segurança.

Ataques como este são uma raridade no Japão, sendo este um dos países com mais baixa taxa de criminalidade violenta. Ainda não se conseguiu perceber qual foi a motivação do atacante.

Donald Trump, que estava a terminar uma visita oficial à nação nipónica, ofereceu “orações e solidariedade” às vitimas, afirmando que “todos os americanos estão junto do povo Japonês”, “das vítima e das suas famílias”.