Rádio Observador

Futebol

“Acho que é um adeus, é o momento para um novo desafio”. Eden despediu-se do Chelsea e será o terceiro Hazard a trocar de clube

Hazard bisou, venceu o segundo troféu europeu pelo Chelsea e despediu-se do clube. E vai ser o terceiro Hazard a mudar de ares na próxima temporada, já que os irmãos já o fizeram nas últimas semanas.

O médio belga realizou a segunda temporada mais goleadora da carreira

AFP/Getty Images

O romance inequívoco entre Eden Hazard e o Real Madrid não é novo, sempre foi recíproco mas foi ficando incompleto. Esta temporada, em que foi orientado por um treinador que não teve grandes reservas em afirmar que o médio belga deveria ser libertado no final da época se assim o pretendesse, o amor entre Hazard e os merengues vai finalmente ser assumido, confirmado e vivido na sua plenitude. Esta quarta-feira, na final da Liga Europa, o belga marcou dois golos, foi crucial para a conquista europeia do Chelsea e terá realizado o último jogo pelo clube inglês. A probabilidade tornou-se praticamente certeza com as declarações finais de Hazard, ainda no relvado do Olímpico de Baku, em que deixou pouco entregue à imaginação.

“Acho que é um adeus, é o momento para um novo desafio. Vai ficar tudo decidido dentro de alguns dias mas o único objetivo na minha cabeça era ganhar esta final. Já tomei a minha decisão e agora estou à espera de ambos os clubes. O meu sonho era jogar na Premier League e já o fiz, por um dos maiores clubes, por isso talvez seja o momento de um novo desafio”, disse o jogador de 28 anos, que sublinhou ainda que esta saída esteve para acontecer no final da temporada passada, “depois do Mundial”, mas acabou por não se realizar.

A honestidade de Hazard não é novidade, até porque já esta quinta-feira, em declarações ao Daily Mail, o belga deixou bastante claro que quer deixar Londres, o Chelsea e o futebol inglês. “Os meus irmãos trocaram de clube, falto eu…veremos onde estarei na próxima época. Sou blue, jamais iria para outro clube da Premier League. Podia ter assinado pelo Manchester United, pelo Manchester City ou pelo Tottenham mas acho que tomei a decisão certa”, revelou o médio. O ainda jogador do Chelsea referia-se então aos dois irmãos mais novos: Thorgan, de 26 anos, que trocou o Borussia Mönchengladbach pelo Borussia Dortmund, e Kylian, de 23, que estava cedido pelos blues ao Cercle Brugge e foi contratado em definitivo pelo emblema belga.

A verdade é que os “alguns dias” de que Hazard falou após o final do jogo desta quarta-feira podem ser apenas até segunda-feira, já que a imprensa espanhola garantia esta semana que o Real Madrid já fechou negócio com o Chelsea e está a preparar uma apresentação no Santiago Bernabéu à escala daquela que teve Cristiano Ronaldo como protagonista em 2009. A confirmar-se, Eden Hazard deixa oficialmente na próxima segunda-feira o clube que representou nas últimas sete temporadas, período em que se tornou a figura maior do emblema londrino e conquistou duas vezes a Premier League, duas vezes a Liga Europa e ainda ganhou uma Taça de Inglaterra. O médio despede-se de Stamford Bridge depois de ter realizado a segunda temporada mais concretizadora da carreira (marcou 21 golos em todas as competições) e de se ter tornado o primeiro número 10 a bisar numa final da Taça UEFA ou da Liga Europa desde 1993. É o fim de uma era no Chelsea que ainda não tem sucessão assegurada. O futuro de Hazard, esse, estará mais do que acertado.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)