Rádio Observador

Lixo

Filipinas devolvem toneladas de lixo ao Canadá

124

Rodrigo Duterte ordenou a devolução imediata de 69 contentores de resíduos para o Canadá. Malásia também anunciou que ia devolver 450 toneladas de lixo a vários países.

"Vou declarar guerra ao Canadá" disse o presidente filipino aquando da ordenação da devolução dos contentores

JUN DUMAGUING/EPA

As Filipinas devolveram esta sexta-feira ao Canadá toneladas de lixo recebidas há vários anos, numa altura em que vários países do Sudeste Asiático afirmam a sua vontade de deixarem de ser a lixeira do Ocidente.

No final de uma longa campanha para levar o Canadá a resolver a questão do seu lixo, o Presidente filipino, Rodrigo Duterte, ordenou na passada semana a devolução imediata de 69 contentores de resíduos.

Os contentores foram metidos num cargueiro em Subic Bay, um porto a noroeste de Manila e uma antiga base naval norte-americana, tendo o navio iniciado já a viagem de regresso ao Canadá.

Na quinta-feira, a ministra do Ambiente canadiana, Catherine McKenna, declarou que o governo de Otava “estava a trabalhar estreitamente” com as Filipinas. Há alguns dias, a Malásia anunciou que ia devolver 450 toneladas de resíduos plásticos a vários países, incluindo Austrália, Bangladesh, Canadá, China, Japão, Arábia Saudita e Estados Unidos.

“A Malásia não vai ser a lixeira do mundo”, declarou o ministro da Energia, Ambiente e das Ciências malaio, Yeo Bee Yin. “Não nos deixaremos intimidar pelos países desenvolvidos”, sublinhou.

A China também aceitou, durante muito tempo, os resíduos plásticos de todo o mundo, antes de, no ano passado, ter subitamente deixado de aceitar aquele tipo de lixo, evocando preocupações ambientais.

Vários países do Sudeste Asiático, que se tinham disponibilizado a receber o lixo que Pequim recebia, estão agora a recuar na decisão. Nas Filipinas, a polémica com o Canadá estava relacionada com dezenas de contentores enviados por uma empresa canadiana entre 2013 e 2014, com a indicação errada de que se tratavam de resíduos recicláveis.

O contencioso arrasta-se há anos, mas no mês passado, numa intervenção, Duterte declarou: “Vou declarar guerra ao Canadá”.

As autoridades canadianas comprometeram-se a receber o lixo, mas não respeitaram o prazo de 15 de maio, fixado por Manila, o que levou as Filipinas a chamarem o embaixador em Otava, bem como os cônsules-gerais. A tensão aumentou quando o porta-voz de Duterte, Salvador Panelo, ameaçou largar a carga em águas canadianas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)