Rádio Observador

Liga dos Campeões

“Na Alemanha já estaria meio bêbedo”. A “melhor noite” de Klopp, da música à falta de álcool nos festejos

130

O treinador do Liverpool chorou, riu e até cantou. Jurgen Klopp ganhou uma prova europeia pela primeira vez e garantiu que só faltava...cerveja. "Ainda nem uma água bebi", disse o alemão.

O treinador alemão nunca tinha conquistado qualquer competição europeia

O último adjetivo que poderia ser utilizado para descrever Jürgen Klopp é “ortodoxo”. O treinador alemão não joga de acordo com as regras, não escolhe as opções mais aconselháveis, não segue os livros, as enciclopédias, os manuais. Klopp é todo coração, todo sentimento, todo instinto e todo empatia. Não deixa ninguém indiferente e é praticamente impossível ter uma opinião moderada sobre o técnico: ou se ama, ou se odeia. Quer se ame ou se odeie, a verdade é que Jürgen Klopp conquistou este sábado o primeiro troféu europeu da carreira e a primeira competição desde que chegou a Liverpool, tornando-se o quarto treinador dos reds a ser campeão europeu.

“Aos que diziam que nunca tinha ganho uma final europeia…bem, peço desculpa”, disse o alemão numa de várias flash interviews que deu ainda no relvado do Wanda Metropolitano. “Estou tão contente pelos rapazes, pelos adeptos, pela minha família. Eles sofrem sempre muito por mim, merecem mais do que quaisquer outros. Esta conquista é importante para o nosso desenvolvimento e para melhorarmos. Esta pequena marca ajuda muito, agora podemos continuar”, acrescentou Klopp, que depois do tom sério não conseguiu evitar fazer comparações entre os festejos alemães e os restantes. “Se fosse na Alemanha? Meia-hora depois do jogo já estava meio bêbedo. Aqui passou uma hora e meia e ainda nem uma água bebi”, atirou o técnico do Liverpool.

O currículo pouco feliz em grandes decisões — perdeu sete finais desde o início da carreira — garantiu ao alemão a fama de “treinador do quase”, aquele que chegava à altura em que se ganhava mas perdia sempre. Desta vez, Jürgen Klopp ganhou mesmo. “É a melhor noite da minha vida”, garantiu o técnico do clube inglês, que guardou o lado mais divertido para a entrevista pós-jogo, já no interior do Wanda Metropolitano. Numa brincadeira com uma conhecida música e fazendo menção às seis Ligas dos Campeões que o Liverpool tem no palmarés, Klopp cantou: “Let’s talk about six, baby”, vamos falar de seis, em português. O momento hilariante na entrevista contrasta com as lágrimas que não escondeu quando abraçou Jordan Henderson, o capitão de equipa, que em declarações depois do jogo garantiu que a vitória se deve, em grande parte, ao treinador.

“Sem ele isto seria impossível. Passámos por momentos difíceis durante a temporada e aquilo que ele fez desde que chegou é inacreditável. Existe uma união enorme, ele criou um balneário especial. Todos os louros vão para o treinador”, disse Henderson, que também revelou que estava a viver “o melhor momento” da carreira.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)