Rádio Observador

Eleições Europeias

Merkel determinada na liderança apesar da demissão da líder do partido de coligação

A chanceler alemã, Angela Merkel, garantiu que continua determinada na liderança do Governo da Alemanha, apesar da demissão da presidente do partido de coligação, o SPD.

Merkel manteve a ideia de completar o quarto mandato no poder, saindo apenas em 2021

FELIPE TRUEBA/EPA

A chanceler alemã, Angela Merkel, garantiu que continua determinada na liderança do Governo da Alemanha, apesar da demissão da presidente do partido de coligação, o Partido Social-Democrata (SPD), Andrea Nahles.

“O que quero dizer em nome do meu Governo é que vamos continuar o nosso trabalho com toda a seriedade e, acima de tudo, com o nosso sentido de responsabilidade”, disse Angela Merkel em declarações aos jornalistas à margem de uma reunião de trabalho do seu partido, que decorre hoje na capital alemã.

Merkel manteve a ideia de completar o quarto mandato no poder, saindo apenas em 2021, apesar das várias crises governamentais do ano passado e das dificuldades de manutenção da coligação entre os social-democratas (SPD, de centro esquerda) e os democratas-cristãos (CDU, de centro-direita).

A líder do Partido Social-Democrata alemão, força que pertence à coligação do Governo da chanceler Angela Merkel, renunciou este domingo ao cargo, após a derrota nas eleições para o Parlamento Europeu.

Num comunicado, Andrea Nahles afirmou que pretende, com esta demissão, “clareza”, depois de as questões levantadas nas últimas semanas sobre a sua capacidade de liderança do partido demonstrarem que não tem o apoio dos seus correligionários.

Nahles disse que deixará os cargos de presidente dos social-democratas e de líder da sua bancada parlamentar, para assegurar que os seus sucessores sejam encontrados “de forma organizada”.

Os social-democratas alemães caíram para o terceiro lugar nas eleições para o Parlamento Europeu, realizadas a 26 de maio, atrás do bloco de centro-direita de Merkel e dos Verdes.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina
134

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)