O ranking de formações de executivos do jornal Financial Times de 2019 inclui três escolas de gestão portuguesas. A mais bem colocada é a Nova School of Business and Economics (Nova SBE) que, este ano, ocupa o 45.º lugar a nível global. Comparativamente às restantes instituições de ensino europeias, a Nova SBE ficou em 23.º lugar. Já no ranking mundial dos chamados programas customizados para empresas, ficou em 52.º, subindo dez lugares em relação a 2018. Nas inscrições livres, manteve o 57.º lugar.

“Este resultado é uma progressão natural da dedicação coletiva de pessoas e organizações pioneiras, focadas na mudança transformadora e no impacto sustentável”, afirmou o diretor da Nova SBE, Daniel Traça, citado pelo Expresso.

A nível europeu, a Católica Lisbon School of Business & Economics também conseguiu entrar para o top 25, ocupando precisamente o 25.º lugar. A nível mundial, ficou três lugares abaixo da Nova — na 48.ª posição –, descendo oito posições face ao ano anterior. Há dois anos (2017), ocupava a 43ª posição da lista que avalia as credenciais de escolas de todo o mundo na área de formação de executivos.

Em comunicado enviado às redações, a diretora da Católica-Lisbon School of Business & Economics para a área da Formação de Executivos, Céline Abecassis-Moedas, garantiu estar ciente de que a instituição tem de continuar a melhorar todos os anos: “Temos uma posição forte e a consciência que precisamos de continuar a inovar numa perspetiva de melhoria contínua. É fundamental continuarmos a apostar na orientação para o cliente, isto é, estarmos constantemente atentos às necessidades das empresas, e dos mercados, e assim oferecermos serviços de formação alinhados com essas necessidades”.

Ao mesmo tempo é fundamental trazer ideias novas ao mundo empresarial através de uma educação inovadora. É nessa perspetiva que, nos próximos meses, lançaremos novos programas em temáticas como Inteligência Artificial, Blockchain e Responsible Business”, acrescentou ainda.

A Porto Business School (PBS) também conseguiu entrar para o ranking do Financial Times, mas apenas na oferta de programas de formação de executivos para empresas. Nesta tabela, subiu, em 2019, 11 lugares, ocupando atualmente a 64.ª posição. Nos programas abertos, ficou em 76.º. Segundo o Expresso, a PBS foi ainda referida no parâmetro das parcerias internacionais, graças à associação com algumas das escolas mais bem classificadas do mundo, como a IMD (Suíça), a London Business School (Inglaterra) ou a Fundação Dom Cabral (Brasil). Neste ranking, a escola portuense ficou em 34.º em 80.