Uma empresa produtora de alumínio na região russa do Tartaristão decidiu organizar uma “maratona da feminilidade”. Segundo o El País, a empresa, Tatprof, oferece às suas funcionárias 1,35 euros por dia se usarem uma saia ou vestido para ir trabalhar. As saias têm de ser, no máximo, “cinco centímetros abaixo do joelho”.

Além disso, pedem às funcionárias que também usem “maquilhagem discreta”. Tudo de acordo com “os padrões tradicionais da beleza feminina”, explicou Anastasia Kirillova, chefe do departamento de cultura e comunicações internas.

A iniciativa, além de ter sido criada para “alegrar” os funcionários do sexo masculino, serve para a empresa escolher uma empregada que tenha participado na “maratona da feminilidade” como modelo.

Esta oferta está a causar controvérsia, mas Kirillova diz que não vê a iniciativa como sexista: “Esperamos que a iniciativa aumente a consciência das nossas mulheres, permitindo que sintam a sua feminilidade e charme”, disse aos órgãos de comunicação da Rússia.

“Queríamos alegrar os nossos dias de trabalho”, explicou Kirillova à estação de rádio Govorit Moskva. ” A nossa equipa é formada por 70% de homens, esse tipo de campanha ajuda a descontrair é uma excelente maneira de unir a equipa”, disse. A empresa tem 550 funcionários, dos quais 149 são mulheres.

“O ‘dress code’ do escritório não proíbe o uso de calças e nós não o proibimos, apenas encorajamos aquelas que preferem uma saia ou vestido, e que seja não mais do que cinco centímetros abaixo do joelho. Agora é verão, por isso a maratona é útil. O bónus, é claro, é um incentivo material que distribuímos entre os participantes da ação”, escreveu a empresa no seu site.

O presidente da empresa, Sergei Rachkov, disse ao jornal local Business Gazeta, que está “muito preocupado com o problema de misturar papéis de género”, quer preservar o princípio feminino em todos os funcionários da empresa “para que as meninas não usem penteados masculinos, que não façam trabalhos manuais e para que coloquem todo o seu carinho em criar os filhos.”

A “maratona da feminilidade” começou em 27 de maio e dura até 30 de junho. A empresa, principal fornecedora de alumínio das Olimpíadas de Sochi de 2014 e da Copa do Mundo do ano passado, diz que em cerca de três dias participaram cerca de 60 mulheres.