O desafio surgiu em forma de tweet e pela mão de Elon Musk, o CEO da Tesla, quando em Maio de 2018 prometeu uma versão do Model 3 capaz de se bater com o BMW M3, a referência – juntamente com o Mercedes C63 AMG – no que toca a berlinas desportivas capazes de garantir um enorme prazer a quem as conduz de forma mais ousada. Num segundo tweet, Musk complementou o desafio, avançando que o Model 3 seria ainda capaz de ser 15% mais rápido do que o M3, além de mais rápido em circuito. Algo inverosímil e que poucos julgavam possível.

Foi necessário esperar cerca de um ano para que, finalmente, os dois veículos se encontrassem em pista, com a Top Gear a ser a primeira publicação a conseguir montar o comparativo por que que se esperava há 12 meses. De um lado o BMW M3, berlina desportiva que sempre serviu de bitola para todos os modelos desta classe, e do outro o novo Model 3 Performance, com as versões a serem escolhidas de forma a equilibrar os preços pelos quais são propostos no mercado norte-americano, com o carro alemão a ser proposto por 66.500 dólares, sensivelmente o mesmo do americano (65.200$). Caso o comparativo decorresse em Portugal, os valores seriam substancialmente distintos, com o Tesla a subir ligeiramente, para 69.700€, mas o BMW a disparar para cima da centena de milhar de euros.

A comparação da Top Gear visava opor os dois modelos em quatro situações específicas, sendo a primeira a tradicional prova de arranque no ¼ de milha, ou seja, de 0 a 402 metros. O M3 (entretanto descontinuado, aguardando-se a introdução de uma nova geração) montava um motor com seis cilindros em linha atmosférico, com 3.0 litros e 431 cv, para “puxar” por 1.635 kg, contra os 480 cv do 3 Performance (um motor eléctrico à frente de 200 cv e atrás de 287 cv), para um peso de 1.935 kg. Ou seja, no papel, o BMW com 3,79 kg/cv, contra 4,03 kg/cv do Tesla, teria uma maior probabilidade de ser mais rápido, apesar de possuir apenas tracção traseira, em vez das quatro rodas motrizes do carro eléctrico. Contudo, o cronómetro registou 11,9 segundos para o Model 3 e 12,6 segundos para o M3.

A segundo prova a que a Top Gear submeteu as duas berlinas desportivas, para criar uma hierarquia, visou acelerar de 0 a 100 km/h, para de seguida travar de novo até 0. Mais uma vez o cronómetro teve a palavra, com 13,1 segundos para o Tesla e 13,8 segundos para o BMW. A situação não se afigurava prometedora para o modelo alemão, depois de duas derrotas nos dois primeiros confrontos, mas a verdade é que as duas “batalhas” que faltavam ainda disputar pareciam favorecer o M3, pelo que o empate ainda era possível.

A terceira prova da Top Gear visava determinar a melhor volta à pista americana de Tunderhill, descrita pelo jornalista como bastante técnica e sinuosa. 1 minuto, 34 segundos e 7 centésimos foi o tempo registado pelo Model 3 Performance, equipado com o Track Mode, enquanto o M3 era cronometrado em 1.35,96, provando que um veículo eléctrico não só consegue ser mais rápido, como mais ágil e eficaz em curva, isto apesar de pesar mais 300 kg, devido às baterias que transporta.

Com o score em 3-0, favorecendo o Tesla, não havia muito que o BMW pudesse fazer para chegar à liderança na última prova do dia, o drift controlado. Ainda assim, sempre de acordo com a Top Gear, nesta disciplina o M3 revelou ser mais eficaz. E caso se avaliassem as sensações transmitidas pelo gritar rouco do seis cilindros e a rapidez como que ambos são abastecidos de “energia”, o resultado poderia ter sido outro.

Resta agora aguardar pela introdução do novo M3, para ver até que ponto esta vantagem de 3-1 do Model 3 se mantém, fazendo justiça às promessas de Elon Musk em Maio de 2018, quando prometeu uma berlina desportiva capaz de bater o M3.