O presidente do Banco Central Europeu (BCE) disse esta quinta-feira que o Conselho do BCE discutiu uma descida da taxa de juro de depósitos que cobra aos bancos por excesso de reservas, atualmente em -0,40%.

Após a reunião desta quinta-feira, na capital da Lituânia, Vilnius, Draghi afirmou em conferência de imprensa que a política monetária do BCE está longe de uma normalização porque o resto do mundo também está longe da normalidade.

O BCE decidiu por unanimidade adiar a primeira subida das taxas de juro para 2020, prevendo que seja depois do primeiro semestre, quando há três meses dizia que não aumentaria os juros pelo menos até ao fim deste ano.

O Conselho do BCE decidiu que a instituição vai continuar a emprestar aos bancos a 0% nas operações semanais de refinanciamento e a um dia a 0,25% (facilidade permanente de cedência de liquidez) e que continuará a cobrar 0,40% (taxa de facilidade permanente de depósito) pelo excesso de reservas a um dia.

Quando tiver lugar a primeira subida das taxas de juro dos últimos anos, será analisada em primeiro lugar a taxa de depósito, mas, segundo Draghi, já foi abordada uma descida.