291kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Londres. Casal de mulheres agredido por quatro homens depois de recusar beijar-se

Este artigo tem mais de 2 anos

O grupo queria que o casal se beijasse à sua frente, mas Chris e Melania recusaram. "Ainda não fui capaz de regressar ao trabalho", confessou uma das jovens. Polícia já efetuou detenções.

A Polícia Metropolitana de Londres (Scotland Yard) está a seguir o caso, tendo recorrido a imagens de videovigilância do autocarro
i

A Polícia Metropolitana de Londres (Scotland Yard) está a seguir o caso, tendo recorrido a imagens de videovigilância do autocarro

A Polícia Metropolitana de Londres (Scotland Yard) está a seguir o caso, tendo recorrido a imagens de videovigilância do autocarro

“Eram pelo menos quatro”. Chris e Melania Geymonat, um casal de mulheres, estavam sentadas num autocarro noturno em direção a Camden Town, em Londres, quando foram surpreendidas por quatro homens que se dirigiram a elas. O que aconteceu a seguir, foi um “um ataque machista, misógino e homofóbico”, nas palavras de Melania. “Começaram a comportar-se como hooligans, exigiam que nos beijássemos para que se divertissem a ver, chamaram-nos lésbicas e descreveram posições sexuais”, contou a mulher de 28 anos numa publicação que fez no Facebook a explicar a situação, acrescentando que o casal se recusou a beijar em frente ao grupo.

Melania explicou que “para acalmar os ânimos” começou a fazer piadas. “Pensei que talvez isto os afastasse”, comentou, sublinhando ainda que os quatro rapazes continuavam a assediar o casal “e estavam cada vez mais entusiasmados”. A jovem recorda “Chris no meio do autocarro a lutar contra eles”, com a cara ensanguentada. A última coisa que Melania se lembra é de “levar um murro”. “Fiquei tonta ao ver o meu sangue e caí para trás. Não me lembro se perdi ou não a consciência”.

De repente, o autocarro parou, a polícia estava lá e eu estava a sangrar. As nossas coisas também foram roubadas. Ainda não sei se o meu nariz está partido e ainda não fui capaz de regressar ao trabalho”, confessou ainda a jovem.

As duas mulheres foram encaminhadas para o hospital e por volta das 17h00 desta sexta-feira, a Polícia Metropolitana de Londres (Scotland Yard) confirmava ter efetuado detenções, avançando no entanto que as investigações continuariam em marcha.

Entretanto, e no seguimento do episódio, vão sendo conhecidas reações. O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corby, já veio reagir ao caso e classificou-o de “absolutamente chocante”, apelando à solidariedade “com toda a comunidade LGBT por tudo o que enfrentam simplesmente por serem eles mesmos”.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.