Rádio Observador

Futsal

Jogadores de futsal do Sporting terão sido mesmo agredidos e vão apresentar queixa a PSP e Federação

371

Após declarações de Miguel Albuquerque em que eram referidas "tentativas de agressão", comunicado do Sporting fala em "agressões perpetradas por adeptos do Benfica" a atletas, que apresentarão queixa.

Erick e Alex disputam bola com Fernandinho: jogo 3 da final de futsal sorriu ao Benfica, que ficou apenas a uma vitória do título

Um dia depois do apito final no Pavilhão da Luz, o jogo 3 da final do Campeonato de futsal entre Benfica e Sporting continua a dar que falar fora da quadra, desta vez com o clube leonino a fazer um comunicado assinado pelo Conselho Diretivo que fala de agressões de adeptos encarnados em Alvalade a jogadores do Sporting na chegada da comitiva ao Multidesportivo.

“O Sporting Clube de Portugal não justificará as suas derrotas com as condutas de terceiros mas não desistirá da sua batalha contra a violência no desporto. Assim, lamenta‐se profundamente que, uma vez mais, o ambiente vivido no pavilhão  da Luz tenha incluído sucessivas interrupções de jogo por parte dos adeptos do clube visitado e os já tristemente habituais cânticos de exultação ao assassinato de um adepto do Sporting. É tempo de a justiça desportiva atuar energicamente contra este comportamento”, começa por referir o comunicado colocada nas plataformas oficiais do clube, antes de comentar também algumas partes da reação que o Benfica teve na véspera às acusações leoninas.

“Estranha‐se que se refira uma informação pela Polícia de Segurança Pública quando é público – pelas imagens divulgadas – que os acontecimentos relatados foram presenciados, entre outros, por elementos da PSP que, de acordo com o que informou aos atletas do Sporting Clube de Portugal presentes no local, cumpriu o seu dever de  reportar o acontecimento às suas chefias. É inútil negar o óbvio: as agressões existiram e foram perpetradas por adeptos do Benfica, conhecidos como tal. Quem incendeia o ambiente da final não é quem denuncia a prática de crimes; é quem não os condena, e assim os branqueia, quando eles são cometidos pelos seus adeptos”, acrescenta, antes de concluir destacando que “o Sporting e os atletas envolvidos participarão a ocorrência junto da PSP e da Federação Portuguesa de Futebol (FPF)”.

De recordar que, pouco depois do encontro que terminou com a vitória do Benfica por 4-3 que colocou as águias apenas a uma vitória de reconquistarem o título após o tricampeonato do Sporting, Miguel Albuquerque, diretor geral das modalidades verde e brancas, resumiu o que se passara na chegada a Alvalade através de uma publicação nas redes sociais. “O melhor estava ainda para vir. Quando pensávamos que nada mais nos podia surpreender, eis que nos deparamos com mais um ato de vandalismo de um tal grupo de adeptos ilegais, mas organizados, que se deslocaram até ao Estádio José Alvalade e, à entrada do Multidesportivo de Alvalade, tentaram agredir os nossos atletas!”, escreveu o dirigente leonino.

“O Benfica lamenta as acusações feitas esta noite pelo diretor geral das modalidades do Sporting, Miguel Albuquerque, relativamente a alegadas tentativas de agressão de adeptos do clube a jogadores do Sporting. O Benfica foi informado pela Polícia de Segurança Pública de que esta desconhece qualquer ocorrência no perímetro do Pavilhão João Rocha entre adeptos do Benfica e atletas do Sporting. Estas acusações são extremamente graves e não podem ficar impunes, até porque poderão incendiar o clima para o jogo 4 da final do Campeonato de futsal, ao contrário daquilo que se deseja para a modalidade”, responderam os encarnados através de um comunicado oficial colocado nas plataformas do clube.

“O Benfica congratula-se com o facto de as autoridades poderem fazer uma investigação rigorosa. As imagens vindas a público de câmaras de segurança ou de um telemóvel são totalmente inócuas e vazias de qualquer esclarecimento. Toda esta rábula está ao nível de um passado de triste memória que teve o seu apogeu na lamentável invasão do centro de treinos de Alcochete. Não nos merece mais nenhum comentário, apelando a que o próximo jogo seja mais um excelente espetáculo de promoção para a modalidade em que prevaleça o fair play e ganhe a melhor equipa como, de forma reconhecida por todos, aconteceu nos três jogos já disputados. Quando perdemos o primeiro jogo reconhecemos o mérito ao adversário e é esse exemplo que se exige da parte de todos”, comentou fonte do Benfica ao jornal Record.

Benfica e Sporting voltam a encontrar-se esta quinta-feira, às 17 horas, no Pavilhão João Rocha. Caso as águias vençam o rival, celebram de imediato o título de campeão; caso os leões consigam ganhar, a final segue para quinto e decisivo jogo, que será depois disputado no Pavilhão da Luz. Nos sete encontros realizados até ao momento entre as duas equipas em três provas distintas, ambas as equipas somam três vitórias cada além de um empate na Ronda de Elite da Liga dos Campeões.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)