Rádio Observador

Grécia

Primeiro-ministro grego pede dissolução do parlamento e eleições antecipadas

O pedido feito formalizado esta segunda-feira e surge na sequência da derrota eleitoral europeia do Syriza. As eleições antecipadas estão marcadas para 7 de julho.

KOSTAS TSIRONIS/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, pediu esta segunda-feira ao Presidente da Grécia, Prokopis Pavlópulos, a dissolução do parlamento e a convocação de eleições antecipadas para 7 de julho.

Tsipras formalizou esta decisão junto do Presidente grego na sequência da derrota eleitoral do seu partido de esquerda, o Syriza, nas eleições europeias e locais a 26 de maio, tendo ficado 9,5 pontos atrás da conservadora Nova Democracia.

Perante estes resultados, iria decorrer um período de incerteza até às próximas eleições, dentro de quatro meses, que não seria favorável à economia do país e colocaria em risco os sacrifícios do povo grego, comunicou Tsipras ao Presidente Pavlópulos.

Por esse motivo peço-lhe, assumindo toda a responsabilidade, que dissolva o parlamento e convoque eleições para renovar o mandato popular”, acrescentou.

A campanha eleitoral será aberta assim que o Presidente publique o correspondente decreto, o que se prevê que ocorra na terça-feira, o mais tardar.

O objetivo do Syriza é reduzir, o mais possível, a ampla vantagem da Nova Democracia, que, segundo a primeira sondagem depois das eleições europeias, alcança já os 10 pontos percentuais.

Ainda esta segunda-feira, Tsipras apresentará o seu programa de Governo para o caso de obter um novo mandato, algo que, por agora, se antevê impossível.

Segundo avançou o Governo grego, o novo programa inclui o compromisso de criar meio milhão de empregos nos próximos quatro ano, e um novo aumento do salário mínimo.

Também promete um sistema tributário mais justo, uma administração mais eficiente e maior atenção à proteção do meio ambiente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Rui Rio

Portugal continua a não ser a Grécia /premium

Rui Ramos
396

Quando a Grécia se afundava em resgates, Passos impediu que Portugal fosse a Grécia. Agora, quando a Grécia se liberta da demagogia, é Rui Rio quem impede que Portugal seja a Grécia. 

Incêndios

Verões de fogo /premium

Manuel Villaverde Cabral
116

A descrição dos incêndios na Grécia é em tudo idêntica à dos que ocorreram em Portugal há dois anos, mas aqui morreram ainda mais pessoas. Lá o Syriza perdeu as eleições, aqui o PS vai ganhá-las...

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)