O administrador da Hidroelétrica de Cahora Bassa (HCB), César Machava, disse esta terça-feira à Lusa que aquela empresa moçambicana pretende identificar alternativas à barragem que alimenta o empreendimento, face à necessidade de sustentabilidade.

César Machava disse que o recurso a outras fontes energéticas poderá passar pela utilização de mais energias renováveis, mas não especificou o tipo de alternativas em análise.

“Está em curso um estudo ainda numa fase bastante embrionária, no âmbito do pensamento estratégico que a HCB sempre seguiu”, disse o responsável.

Machava acrescentou que a busca de fontes alternativas de produção de energia enquadra-se no esforço de adoção de medidas de resiliência face ao uso excessivo da água do rio Zambeze.

“O risco para a barragem é mínimo, neste momento, mas temos de nos preparar para o futuro”, enfatizou César Machava.

A barragem da HCB é uma das maiores do mundo e fornece energia elétrica a Moçambique e a vários países da África austral.