No espaço de uma semana dois vereadores do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, no poder) foram assassinados no Estado venezuelano de Zúlia, no oeste do país, anunciaram as autoridades locais esta quarta-feira.

Segundo fontes policiais ambos os casos são investigados como sicariato ou morte por encomenda.

O último caso aconteceu pouco depois das 12h30 locais de terça-feira (17h30 em Lisboa) no município Jesus Enrique Lossada daquele Estado e a vítima foi identificada como Michael Padrón, vereador suplente do PSUV na câmara municipal.

Testemunhas do ocorrido dão conta que dois desconhecidos, que se faziam transportar numa motocicleta, dispararam contra o político que se encontrava de costas, a caminho da casa de um familiar.

Michael Padrón, 28 anos, fazia parte da Frente Francisco de Miranda (anti-imperialista, criado em 2003 pelos falecidos líderes socialistas Hugo Chávez e Fidel Castro) e vereador suplente de Verimar Sánchez, que a 15 de fevereiro último foi atacada e ferida a tiros por desconhecidos que assassinaram o filho, Adalberto Meléan Sánchez, de 19 anos.

O segundo crime ocorreu a 6 de junho, no município Catatumbo, do Estado de Zúlia, com a vereadora Milagros Bedoya, do PSUV, assassinada a tiro também por desconhecidos, nas proximidades da sua residência.

A 1 de maio último três homens armados atacaram a tiro o presidente da Câmara Municipal Jesus Enrique Lossada, Junior Mujica, que conseguiu sair ileso. Dois guarda-costas ficaram feridos.

Em finais de novembro de 2018, David Alejandro Mujica de 22 anos, sobrinho de Junior Mujica e filho do deputado David Mujica, foi assassinado a tiro por desconhecidos.