A Polícia Marítima portuguesa em missão na ilha grega de Lesbos resgatou esta sexta-feira 35 migrantes, 12 dos quais crianças, que estavam a bordo de um bote, tendo sido transportados para o porto de Skala Skamineas.

“O bote foi detetado por militares gregos que transmitiram a informação para a equipa da Polícia Marítima a bordo da embarcação ‘Tubarão’. A equipa da Polícia Marítima intercetou o referido bote pelas 03h35, em frente à região de Tsonia”, refere a Autoridade Marítima Nacional (AMN) em comunicado.

A bordo da embarcação estavam 35 migrantes, dos quais 12 crianças (dois bebés), sete mulheres, uma delas grávida, e 16 homens.

“Os migrantes foram transferidos para a embarcação da Polícia Marítima e transportados para o porto de Skala Skamineas, onde desembarcaram e foram entregues às autoridades gregas em segurança”, acrescenta o documento.

A Polícia Marítima encontra-se integrada na operação Poseidon, sob a égide da agência europeia Frontex e em apoio à Guarda Costeira grega, com o objetivo de controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da União Europeia, no combate ao crime transfronteiriço, no âmbito das funções de guarda costeira europeia.

“A Polícia Marítima continuará em missão até janeiro de 2020, tendo salvo 2.020 vidas desde que iniciou esta missão na Grécia, em maio de 2017. Desde 2014, quando iniciou a sua participação na missão Poseidon, a Polícia Marítima totaliza 5.176 vidas salvas”, conclui.