Nazanin Zaghari-Ratcliffe, uma iraniano-britânica detida há mais de três anos no Irão, iniciou uma greve de fome para exigir a sua libertação, anunciou este sábado o marido, que se vai juntar ao protesto.

Citado pela imprensa britânica, Richard Ratcliffe disse que a mulher informou as autoridades judiciais de que vai recusar alimentos, mas que continuará a aceitar água, até que lhe seja concedida “a libertação incondicional”.

O marido da detida disse ainda que vai juntar-se ao protesto e fazer também greve de fome junto da embaixada do Irão em Londres, a partir de hoje.

Zaghari-Ratcliffe, que trabalhava na organização de solidariedade associada à agência de notícias Thomson Reuters, foi detida em abril de 2016 quando visitou o Irão com a filha.

As autoridades iranianas acusaram-na de conspirar contra o governo, mas a família nega e diz que a mulher estava de visita à família, que vive no país.

Em setembro de 2016, Zaghari-Ratcliffe foi condenada a cinco anos de prisão por participação em manifestações contra o regime em 2009, o que ela nega.

A pena foi confirmada em recurso em abril de 2017.

A filha do casal, de 5 anos, vive com os pais de Zaghari-Ratcliffe no Irão.