Podiam ser apenas os adeptos dos Raptors mas a identidade criada pelo “We The North” alargou a festa não só a Toronto mas a todo o Canadá: pela primeira vez, uma equipa não americana chegou à final da NBA e conseguiu mesmo conquistar o título, num autêntico conto de fadas que teve muitas apostas de risco pelo meio e que se revelaram a chave do sucesso da formação underdog da final com os Golden State Warriors. A troca do ídolo DeRozan por Kawhi Leonard tinha algumas coisas para correr mal mas dificilmente poderia ter sido melhor. A aposta em Nick Nurse para treinador tinha alguns contras mas quase tudo se transformou em prós. O investimento em elementos de segunda linha tinha tudo para falhar mas foi um êxito completo.

Promover adjunto, abdicar da estrela e apostar nas segundas linhas: como Toronto conseguiu um milagre na NBA

No polo oposto aos Raptors, os Los Angeles Lakers, reforçados por LeBron James, acabaram por ser uma das deceções da época, falhando até a entrada nos playoffs através da sempre competitiva Conferência Oeste. Mas, neste caso, e depois das convulsões internas que levaram mesmo à saída de Magic Johnson do centro de operações, os responsáveis pretendem que a melhoria seja feita com apostas mais do que seguras e é aqui que entra a primeira grande bomba do mercado.

A notícia começou a correr através de um tweet do jornalista Adrian Wojnarowski, da ESPN, e não demorou a espalhar-se um pouco por todo o mundo: o conjunto da Califórnia terá conseguido finalmente assegurar a contratação de Anthony Davis, poste de 26 anos dos Pelicans que voltou a ser uma das grandes figuras da NBA. Em sentido inverso, irão rumar a New Orleans Lonzo Ball, Josh Hart e Brandon Ingram, além de mais três escolhas do draft incluindo a número 4 deste ano.

Da parte dos Lakers, que procuram reforçar com nomes fortes a equipa para conseguirem dar uma equipa a LeBron James capaz de discutir o título, fica garantida a primeira grande ambição dos responsáveis, que já em fevereiro forçaram até ao limite a possibilidade de garantirem desde logo Davis. Ao mesmo tempo, as atenções estarão já centradas em Kemba Walker, base dos Charlotte Hornets que fica como free agent no final do mês e que será o próximo alvo da formação da Califórnia.

A marca desportiva, as polémicas e um reality show: como a família Ball está a mudar a NBA

Do lado dos Pelicans, que falharam de novo os playoffs em 2018/19 e que poderiam ver Anthony Davis ficar como free agent no final da próxima época, o próximo draft servirá para lançar as bases de uma nova era, tendo a primeira e a quarta opção de escolha para garantir dois jovens que possam funcionar como referência para o resto da equipa, sendo que os três jogadores que chegam dos Lakers são também eles novos, com muito potencial mas um contra relacionado com os problemas físicos.