Depois de ter terminado a primeira fase com dez vitórias em 11 jogos no primeiro lugar da Série D, à frente de Belenenses, V. Setúbal e Real (também apurados para a ronda seguinte), o Benfica acabou por chegar à zona decisiva para apuramento do campeão como segundo classificado da Série Sul, com um empate e uma derrota nos confrontos com o rival Sporting. À partida, contando ainda com FC Porto e Sp. Braga na Zona Norte, o Campeonato teria os candidatos do costume; todavia, e ao contrário do que é normal nas camadas jovens, foi na fase final que o desequilíbrio aumentou e a favor dos encarnados.

Começando com um triunfo no Seixal frente ao Belenenses (2-0), o Benfica foi depois empatar a Alcochete com o Sporting (2-2), ganhou em Braga (3-0) e fechou em casa com novo triunfo diante do V. Guimarães (3-1) antes da paragem para compromissos da Seleção Nacional Sub-17, que disputou o Campeonato da Europa da categoria. No reatamento da prova, mais de um mês depois, a formação comandada por Luís Araújo derrotou o FC Porto no Olival de forma categórica (3-0), foi ganhar ao Restelo (3-1), ganhou ao Sporting no dérbi em casa e, face aos vários pontos que foram sendo perdidos pelos rivais diretos, entrou para esta antepenúltima jornada a precisar apenas de um empate com o Sp. Braga para assegurar o título.

Foi isso que aconteceu mas com mais um triunfo e com contornos de goleada: depois de um início de jogo em que as zonas de pressão alta dos minhotos ainda conseguiram condicionar a construção a partir de trás, o Benfica praticamente sentenciou o encontro em pouco mais de dez minutos, chegando ao 3-0 que se registava ao intervalo com golos de Tomás Araújo (20′), Henrique Pereira (25′) e Henrique Araújo (32′), a principal referência ofensiva dos encarnados ao longo da temporada com 34 golos em 31 jogos (mais do que os segundos melhores marcadores juntos, Filipe Cruz e Gerson Sousa). É certo que os arsenalistas já tinham mostrado esta temporada a sua capacidade de reação à desvantagem, como aconteceu há duas semanas em Alcochete com o Sporting (de 0-2 para 2-2), mas a grande penalidade de Telmo que reduziu para 3-1 não teve continuidade (42′) e foi o conjunto de Luís Araújo a chegar à goleada com golos de Paulo Bernardo (60′) e Henrique Araújo (69′).

Assim, e quando faltam ainda duas jornadas do Campeonato por disputar, o Benfica conseguiu revalidar o título de juvenis que alcançara na época passada, aumentando para 19 o número de títulos no escalão, a apenas um do FC Porto. Ficam também fechadas as grandes decisões nos Campeonatos de formação e com troféus repartidos: os dragões ganharam o título nos juniores (depois de se terem sagrado campeões europeus), os leões venceram nos iniciados e agora as águias ficaram com os juvenis.