Rádio Observador

Futebol

Benfica goleia Sp. Braga no Seixal e revalida título de campeão de juvenis

919

Vitória no dérbi com o Sporting deixou título a um ponto, goleada na receção ao Sp. Braga confirmou a conquista: Benfica revalida Campeonato de juvenis quando faltam ainda duas jornadas por jogar.

Benfica somou 22 dos 24 pontos possíveis na fase final do Campeonato e garantiu título de juvenis com duas jornadas por disputar

Carlos Costa

Depois de ter terminado a primeira fase com dez vitórias em 11 jogos no primeiro lugar da Série D, à frente de Belenenses, V. Setúbal e Real (também apurados para a ronda seguinte), o Benfica acabou por chegar à zona decisiva para apuramento do campeão como segundo classificado da Série Sul, com um empate e uma derrota nos confrontos com o rival Sporting. À partida, contando ainda com FC Porto e Sp. Braga na Zona Norte, o Campeonato teria os candidatos do costume; todavia, e ao contrário do que é normal nas camadas jovens, foi na fase final que o desequilíbrio aumentou e a favor dos encarnados.

Começando com um triunfo no Seixal frente ao Belenenses (2-0), o Benfica foi depois empatar a Alcochete com o Sporting (2-2), ganhou em Braga (3-0) e fechou em casa com novo triunfo diante do V. Guimarães (3-1) antes da paragem para compromissos da Seleção Nacional Sub-17, que disputou o Campeonato da Europa da categoria. No reatamento da prova, mais de um mês depois, a formação comandada por Luís Araújo derrotou o FC Porto no Olival de forma categórica (3-0), foi ganhar ao Restelo (3-1), ganhou ao Sporting no dérbi em casa e, face aos vários pontos que foram sendo perdidos pelos rivais diretos, entrou para esta antepenúltima jornada a precisar apenas de um empate com o Sp. Braga para assegurar o título.

Foi isso que aconteceu mas com mais um triunfo e com contornos de goleada: depois de um início de jogo em que as zonas de pressão alta dos minhotos ainda conseguiram condicionar a construção a partir de trás, o Benfica praticamente sentenciou o encontro em pouco mais de dez minutos, chegando ao 3-0 que se registava ao intervalo com golos de Tomás Araújo (20′), Henrique Pereira (25′) e Henrique Araújo (32′), a principal referência ofensiva dos encarnados ao longo da temporada com 34 golos em 31 jogos (mais do que os segundos melhores marcadores juntos, Filipe Cruz e Gerson Sousa). É certo que os arsenalistas já tinham mostrado esta temporada a sua capacidade de reação à desvantagem, como aconteceu há duas semanas em Alcochete com o Sporting (de 0-2 para 2-2), mas a grande penalidade de Telmo que reduziu para 3-1 não teve continuidade (42′) e foi o conjunto de Luís Araújo a chegar à goleada com golos de Paulo Bernardo (60′) e Henrique Araújo (69′).

Assim, e quando faltam ainda duas jornadas do Campeonato por disputar, o Benfica conseguiu revalidar o título de juvenis que alcançara na época passada, aumentando para 19 o número de títulos no escalão, a apenas um do FC Porto. Ficam também fechadas as grandes decisões nos Campeonatos de formação e com troféus repartidos: os dragões ganharam o título nos juniores (depois de se terem sagrado campeões europeus), os leões venceram nos iniciados e agora as águias ficaram com os juvenis.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)