A confissão foi feita ao juiz de instrução criminal do Tribunal de Loures, segundo o Jornal de Notícias: um dos dois empresários empresários detidos pela PJ reconheceu que pagou em dinheiro dois milhões de euros a dois responsáveis do departamento de compras do Pingo Doce para que escoassem sempre os seus produtos, com prejuízo para o grupo Jerónimo Martins.

O Jornal de Notícias garante que o outro empresário detido por corrupção no setor privado e branqueamento e os dois quadros da Jerónimo Martins mantiveram o silêncio.

Os dois empresários foram detidos na quarta-feira por inspetores pela PJ. E outras dez pessoas foram constituídas arguidas. Em causa estará um um esquema de corrupção na compra de pão, peixe, frutas e legumes do Pingo Doce.