O antigo primeiro-ministro e arguido na Operação Marquês, José Sócrates, é o novo colunista de uma revista brasileira assumidamente de esquerda, a Carta Capital. A notícia foi dada pela própria publicação e detetada em Portugal pelo Diário de Notícias, que teve acesso ao número da revista onde o espaço de opinião de Sócrates foi anunciado.

“Ex-primeiro-ministro de Portugal e ex-secretário-geral do Partido Socialista local escreverá quinzenalmente”, diz a Carta Capital, que descreve Sócrates como um “atento analista da geopolítica global” que “acompanha com interesse os assuntos brasileiros e não pretende fugir do desafio de tecer comentários a respeito do país”. Faz parte do grupo de quatro novos colunistas que a revista publicará a partir de agora, cuja escolha foi baseada na “competência” e “clareza na exposição de argumentos” dos quatro contratados.

O anúncio foi acompanhado da publicação de uma entrevista ao próprio José Sócrates onde são abordados temas como as recentes eleições para o Parlamento Europeu e a situação política no Brasil. Na mesma conversa, Sócrates é questionado sobre a Operação Marquês — onde está acusado de crimes como corrupção passiva, branqueamento de capitais, falsificação de documentos e fraude fiscal — e a atual “judicialização da política” em vários países como Portugal e Brasil.

“Respondo a uma grave, injusta e falsa acusação que está neste momento em fase de instrução, momento em que um juiz decidirá se a aceita para seguir a julgamento”, responde o antigo primeiro-ministro, que diz não encontrar “outra explicação” para o processo a não ser “a motivação política”.

A Carta Capital é uma revista semanal brasileira assumidamente de esquerda. Em 2010, apoiou publicamente a candidatura à presidência da sucessora de Lula da Silva, Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT).