Rádio Observador

Aviação

Embraer prevê procura de 10.550 aeronaves com até 150 lugares nos próximos 20 anos

A fabricante de aeronaves brasileira prevê uma procura de 10.550 novas aeronaves em todo o mundo nos próximos 20 anos e diz que o crescimento do mercado impulsionará 55% da procura total.

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 assentos e tem mais de 100 clientes em todo o mundo

Sebastiao Moreira/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A fabricante de aeronaves brasileira Embraer prevê uma procura de 10.550 novas aeronaves com até 150 lugares em todo o mundo nos próximos 20 anos, no valor de 600 mil milhões de dólares (535,5 mil milhões de euros).

Segundo a companhia, o crescimento do mercado impulsionará 55% da procura total e os 45% restantes serão entregues para substituir aeronaves antigas.

“Embora as perspetivas específicas de cada região variem consideravelmente, a eficiência e a sustentabilidade continuam a ser os principais impulsionadores dessa projeção de mercado. O segmento de até 150 assentos formará uma parte cada vez mais essencial do ecossistema de transporte aéreo global”, destacou a empresa em um comunicado.

A região da Ásia-Pacífico deve ser responsável pelo maior crescimento da procura (28%), seguida pela América do Norte (26%), Europa (21%), América Latina (11%), África (4%) e Médio Oriente (4%).

A Embraer frisou que o desempenho económico do setor de companhias aéreas dependerá em grande parte de quanto os custos aumentarão, e até que ponto o setor poderá sustentar um nível adequado de receitas.

“Apesar dos ótimos resultados demonstrados pela indústria desde 2015, quando a Margem EBIT [sigla em inglês para Lucro antes dos Juros e Tributos] atingiu o patamar inédito de 8,6%, temos visto uma queda sistemática: 8,5% em 2016, 7,5% em 2017, 5,8% em 2018”, frisou John Slattery, presidente e presidente do conselho de administração da Embraer Aviação Comercial.

“Com certeza, ainda são números fortes, mas é razoável considerar que o pico deste grande ciclo está atrás de nós”, acrescentou.

Além disso, a fabricante brasileira confirmou esta terça-feira na 53ª edição do Paris Air Show Internacional a assinatura de um contrato com a companhia aérea Binter, da Espanha, para o fabrico de dois jatos E195-E2 adicionais, confirmando os direitos de compra do contrato original, firmado em 2018.

A encomenda será incluída na carteira de pedidos da Embraer do segundo trimestre deste ano e tem valor de 141,8 milhões de dólares (126,56 milhões de euros), com base na atual lista de preços da Embraer.

Outro negócio anunciado foi a assinatura de um contrato com a japonesa Fuji Dream Airlines (FDA) para dois jatos E175.

O pedido tem um valor estimado de 97,2 milhões de dólares (86,7 milhões de euros), com base em preços de lista de 2019, e já estava incluído na carteira de pedidos da Embraer do primeiro trimestre como “cliente não divulgado”.

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 assentos e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65% do capital, em Alverca.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)