Rádio Observador

Vaidades

Royal Ascot. Está de volta a corrida aos chapéus floridos, temáticos e extravagantes

O primeiro dia do Royal Ascot arrancou com flores em formato XXL coladas à cabeça, de todas as cores e feitios, mas não só. Em fotogaleria confira as extravagâncias que são de se tirar o chapéu.

O Royal Ascot acontece até sábado, dia 22

ADRIAN DENNIS/AFP/Getty Images

Realiza-se desde o século XVIII, junta a alta sociedade britânica nos arredores de Londres e é, sem grandes dúvidas ou hesitações, considerada a mais prestigiada prova hípica no país. O evento Royal Ascot está de volta e, em 2019, vai desta terça-feira, dia 18, a sábado, 22 de junho. São cinco dias marcados por intensas corridas e chapéus extravagantes — símbolo mediático de um dress code exigente, pouco tolerante a desleixos, decotes ou bainhas fora do sítio, mas totalmente aberto à criatividade e exuberância. De tão faustoso que é tornou-se, a par das corridas de cavalos, outra das grandes atrações de Ascot. O primeiro dia do evento ficou marcado por flores XXL na cabeça, mas também abelhas mutantes, véus e alusões temáticas à iniciativa hípica, tal como se pode ver em fotogaleria. 

O evento tem o selo de aprovação da família real britânica, tanto que a rainha Isabel II faz questão de marcar presença no Royal Ascot há mais de sete décadas — como espetadora, mas também como uma bem-sucedida dona de cavalos, que já gozou 23 vitórias ao longo dos anos, tal como recorda a CNN. Como é costume desde 1825, a rainha chega todos os dias numa carruagem puxada por cavalos e acompanhada de outros membros da família real. A procissão leva a monarca desde as imediações do Castelo de Windsor até ao Royal Enclosure, local que proporciona uma experiência VIP e que é frequentado por celebridades e até por elementos da realeza. Esta terça-feira não foi exceção, com a rainha a fazer-se acompanhar dos reis da Holanda e, entre outras personalidades, dos duques de Cambrigde. De Meghan Markle e príncipe Harry nem sinal.

Em respeito pela tradição, os visitantes têm de seguir as regras do dress code, publicadas na íntegra no site do evento. Se a moda masculina não mudou muito ao longo dos anos — ou dos séculos –, o mesmo não se poderá dizer da feminina. Nos dias que correm, as mulheres têm de optar por vestidos ou saias abaixo do joelho, macacões ou calças podem agora ser usados, sendo que chapéus ou ornamentos para a cabeça são obrigatórios. As senhoras são encorajadas a usar os melhores looks no Ladie’s Day, que este ano está agendado para quinta-feira, 20 de junho.

O evento tem tanto de social como de desportivo. Há seis corridas por dia durante os cinco dias do Royal Ascot — em todas, quem corre e quem aposta compete por uma parte do prémio de cerca de 7 milhões de libras, sendo que a corrida mais valiosa, a Prince of Wales’s Stakes, acontece já na quarta-feira (o vencedor pode arrecadar cerca de 750 mil libras, algo como 840 mil euros).

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)