A Aston Martin volta a produzir uma obra de arte sobre rodas: para comemorar o centenário da marca, o fabricante de Gaydon vai colocar o departamento Heritage a produzir artesanalmente 19 exemplares do DB4 GT Zagato, tal qual o modelo que na década de 60 pretendia fazer frente ao Ferrari 250 GTO. E se o desportivo de Maranello, de que também foram fabricadas pouquíssimas unidades, atinge valores astronómicos sempre que vai a leilão, o mesmo acontece a esta “reedição” do DB4 GT Zagato, que não será propriamente barata de adquirir.

Para ser um dos felizes proprietários de um novo DB4 GT Zagato, é necessário adquirir o pack do centenário, acessível em troca de 6 milhões de libras. Ou seja, qualquer coisa como 6,7 milhões de euros (antes de impostos). Em troca, o cliente leva para casa não apenas um DB4 GT Zagato, mas também um DBS GT Zagato – modelo que, até ao momento, não foi ainda revelado.

Quanto ao DB4 que integra a chamada “DBZ Century Collection”, combina os mais recentes avanços tecnológicos com a mestria dos artesãos de Buckinghamshire. É montado sobre um chassi tubular, que acolhe os painéis em alumínio com apenas 1,2 mm de espessura, moldados à mão. As elegantes (e intemporais) linhas da carroçaria são realçadas pelo vermelho Rosso Maja e pelas inconfundíveis jantes de raios Borrani . Por dentro, o DB4 GT Zagato Continuation exibe uma instrumentação praticamente idêntica ao modelo original, mas esconde sob o revestimento em pele Obsidian Black o avanço dos tempos. Não se vê, mas lá está uma estrutura em fibra de carbono a suportar os bancos de competição.

Para satisfazer os mais puristas, a única ajuda à condução continua a ser o autoblocante do eixo traseiro, pelo que é preciso apurar os dotes ao volante na hora de “espremer” os seis cilindros em linha que se encontra sob o capot, com 390 cv de potência, acoplado a uma caixa manual de quatro velocidades muito curtas. Longa será a lista de potenciais interessados.