Rádio Observador

Futebol

Técnico Ivo Vieira diz que Vitória de Guimarães é o “maior desafio” da carreira

O treinar do Vitória de Guimarães disse que a este clube é mais exigente do que os anteriores, devido às 'ambições europeias' e à massa adepta.

Ivo Vieira vai ser acompanhado em Guimarães pelos adjuntos Miguel Romão e Pedro Andrade, que transitam consigo do Moreirense

OCTÁVIO PASSOS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Ivo Vieira afirmou esta terça-feira que treinar o Vitória de Guimarães, clube da I Liga portuguesa de futebol, é o “maior desafio” da carreira, durante a apresentação como técnico do emblema vimaranense para a época 2019/20.

Depois da primeira experiência como treinador principal em 2010/11, no Nacional, o madeirense, de 43 anos, passou pelo Marítimo, Desportivo das Aves, Académica, Estoril Praia e Moreirense, na época passada, até chegar ao Vitória, clube, a seu ver, mais exigente do que os anteriores, devido às ‘ambições europeias’ e à massa adepta.

“Não tenho dúvida nenhuma que é o maior desafio da minha carreira, perante os objetivos e a grandeza desta instituição. Sinto que ainda tenho de crescer e aprender, mas estou preparado para agarrar com ‘unhas e dentes’ este desafio”, disse o treinador, no Estádio D. Afonso Henriques, acompanhado do presidente do clube, Júlio Mendes.

O Vitória vai começar a época em 24 de junho e disputar o primeiro jogo oficial em 24 ou 25 de julho, para a segunda pré-eliminatória da Liga Europa, mas, apesar de a equipa ter um mês de trabalho até à competição, Ivo Vieira reiterou que quer chegar à fase de grupos e, no campeonato, “tentar repetir uma posição de acesso à Liga Europa”, depois do quinto lugar obtido em 2018/19.

O sucessor de Luís Castro, treinador que deixou Guimarães para rumar ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, acrescentou que os seus jogadores têm de saber aproveitar a forma “apaixonante” como os adeptos sentem o clube, para se tornarem “mais fortes e competitivos” dentro de campo.

“Os vitorianos vão estar a lutar por nós a cada jogo e a cada dia. Se formos tão apaixonados quanto eles, vai ser um casamento perfeito”, antecipou.

Questionado sobre a composição do plantel, Ivo Vieira adiantou que “há matéria com valia” para lutar pelos objetivos e que as entradas têm de ser “criteriosas” – o guarda-redes Jhonatan, seu ‘pupilo’ no Moreirense, em 2018/19, e o médio Blati Touré, ex-Córdoba, de Espanha, são os reforços confirmados.

O novo timoneiro vitoriano prometeu ainda que o seu trabalho e a equipa vão estar imunes ao clima eleitoral que o clube vai atravessar, com as eleições para os órgãos sociais a decorrerem em 20 de julho, depois de a direção de Júlio Mendes ter anunciado a demissão em 27 de maio.

O presidente demissionário do Vitória explicou, aliás, que Ivo Vieira só assinou um contrato válido por uma época, porque “não seria ético comprometer uma futura administração com um contrato mais longo”.

Júlio Mendes mostrou-se, no entanto, convicto de que o técnico madeirense vai alcançar os objetivos traçados para a próxima época, por ser um treinador com “grande ambição” e “forte caráter”, com condições para fazer um “trabalho de excelência”.

Ivo Vieira vai ser acompanhado em Guimarães pelos adjuntos Miguel Romão e Pedro Andrade, que transitam consigo do Moreirense, e ainda por Jorge Silva, Moreno e Vítor Martins, técnicos que já faziam parte da equipa de Luís Castro, na época passada.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)