Rádio Observador

Futebol

Neymar de saída do PSG, entre uma loucura do Real e o regresso ao Barcelona (com Griezmann a perder)

Al-Khelaïfi abriu a porta do PSG a Neymar mediante uma oferta XXL, o brasileiro já terá dito que quer sair. O regresso ao Barcelona é uma possibilidade desejada mas o rival Real pode entrar na luta.

Neymar lesionou-se num particular, falhou Copa América e prestou depoimento no caso em que é acusado de violação pela modelo Najila Trindade

AFP/Getty Images

Uma entrevista, duas certezas em relação ao mercado que já começa a mexer com muitos milhões à mistura: da mesma forma como Nasser Al-Khelaïfi, proprietário do PSG, garantiu que Kylian Mbappé ficará na próxima temporada em França com “200% de certeza”, as respostas à France Football mostraram também que a situação com Neymar é diferente e que, no limite, poderá mesmo sair do clube caso surja uma “proposta XXL” que chegue aos valores pretendidos depois do investimento de 222 milhões de euros feitos em 2017. Tudo, de acordo com o responsável do Qatar, em nome de uma mudança de rumo na estratégia (que levou à troca de Antero Henrique por Leonardo) e de mentalidades na equipa comandada por Thomas Tuchel.

“Os jogadores vão ter de assumir a sua responsabilidade, muito mais do que antes. É preciso que isto seja totalmente diferente. Vão ter de fazer mais, vão ter de trabalhar mais. E se não estiverem de acordo as portas estão abertas. Adeus! Não quero voltar a ver comportamentos de estrela”, começou por referir em termos mais genéricos. “Preciso que Neymar me demonstre que quer estar envolvido aqui, ele e os outros. Ninguém o obrigou a assinar connosco, ninguém o empurrou a fazer isso, veio para cá sabendo perfeitamente era o projeto. Não estou a dizer que o PSG não vai segurá-lo neste verão. Repito mas tem de acreditar em nosso projeto e dar todas as garantias de envolvimento. Enquanto for o caso, não haverá problema”, acrescentou.

A mensagem ficou, a resposta também não demorou: apesar de estar nesta altura a recuperar da lesão no tornozelo direito que o levou a falhar a presença na Copa América, o brasileiro já terá feito saber que considera ser esta a altura para deixar o PSG, onde não se sente feliz, e abraçar uma nova liga. Que até pode ser a anterior. Pela equipa anterior. Ou contra a equipa anterior.

O Mundo Deportivo avança esta quinta-feira com uma possível proposta que estará a ser preparada pelo Real para garantir o avançado brasileiro que esteve quatro anos no rival Barcelona: 130 milhões de euros mais o passe de James Rodríguez ou Gareth Bale. Segundo a publicação, e depois dos cerca de 300 milhões já investidos em reforços para a próxima temporada (Rodrygo, Éder Militão, Hazard, Mendy e Jovic), Zinedine Zidane coloca como grande prioridade a contratação de um jogador para reforçar o meio-campo (falando-se de Paul Pogba e Eriksen) mas Florentino Pérez considerará que, por muito que Hazard acrescente à equipa em termos desportivos, Neymar é o único jogador que consegue rivalizar com Ronaldo e Messi a nível de venda de camisolas e ações publicitárias. Em termos de ordenado, 30 milhões líquidos, menos seis do que recebe agora. Já o ABC destaca que, mais do que Neymar, o grande alvo do Real será Mbappé – mesmo que seja apenas em 2020.

Já o El Mundo tinha colocado outro cenário para o brasileiro esta quarta-feira e diametralmente oposto a este: alguns jogadores, entre os quais Messi, terão manifestado o interesse em voltar a ter Neymar no Barcelona, com a possibilidade de poder haver um outro nome surpresa no negócio que é Griezmann. Depois de ter anunciado a saída do Atl. Madrid a partir de 1 de julho, quando a sua cláusula baixa de 200 para 120 milhões de euros, os próprios dirigentes colchoneros comentaram publicamente que o jogador deveria seguir para Barcelona mas a reação do plantel blaugrana não terá sido a melhor, o que terá travado o avançar do negócio. Coutinho e Dembelé, que ainda não justificaram os valores milionários das respetivas contratações (que entraram no top 4 das maiores de sempre, apenas superadas por Neymar e Mbappé), são nomes falados como possíveis moedas de troca.

O Sport adiantou mesmo um detalhe que mostra bem a ligação que existe ainda hoje entre Neymar, Messi e Luis Suárez, os dois últimos agora presentes na Copa América: apesar da saída do brasileiro de Camp Nou, mantiveram um grupo a três no WhatsApp chamado “Los tres sudacas” e, em pelo menos dois momentos, o jogador do PSG foi à Cidade Desportiva do Barça visitar os amigos. Concentrado com o Uruguai, Suárez deixou uma resposta que resume muito do que considera sobre as possíveis caras novas no ataque para a próxima temporada. “Neymar? Quem não gostaria de ter um jogador como ele, o segundo melhor do mundo? Griezmann? Não faço comentários”, atirou o número 9 da equipa de Óscar Tabárez. O canal televisivo Gol avançou mesmo esta semana que o brasileiro já estaria à procura de casas em Barcelona. Uma coisa é certa: como destaca o El Confidencial, Griezmann é quem mais perde caso Neymar volte à anterior equipa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)