A Polícia Marítima portuguesa em missão na ilha grega de Lesbos resgatou na quarta-feira mais 37 migrantes, entre os quais sete crianças, aumentando para 188 o número de vidas salvas durante o mês de junho em águas gregas.

Dos 37 migrantes resgatados, de nacionalidade afegã e iraniana, sete são crianças, 12 mulheres, duas delas grávidas, e 18 homens, que se encontravam a bordo de um bote.

“O bote foi detetado pela equipa da Viatura de Vigilância Costeira da Polícia Marítima, tendo sido intercetado pela embarcação da Polícia Marítima ‘Tubarão'”, anunciou a Autoridade Marítima Nacional.

Os migrantes foram depois transferidos para a embarcação da Polícia Marítima e transportados para Skala Skamineas, onde desembarcaram e foram entregues às autoridades gregas.

“A Polícia Marítima conta com 188 vidas salvas desde o início de junho e irá continuar em missão até janeiro de 2020, tendo salvo 2120 vidas desde que iniciou esta missão na Grécia em maio de 2017”, salientou.

A Polícia Marítima encontra-se integrada na operação Poseidon, sob égide da agência europeia Frontex e em apoio à Guarda Costeira grega, com o objetivo de controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da União Europeia, no combate ao crime transfronteiriço, no âmbito das funções de guarda costeira europeia.

Desde 2014, quando iniciou a sua participação na missão Poseidon, a Polícia Marítima totaliza 5276 vidas salvas.