Com um objectivo cada vez mais claro, a Cupra prepara-se para um futuro cada vez mais risonho, com mais modelos, mais emoção e volume de vendas a crescer. Daí que tenha decidido revelar o projecto para as novas instalações onde passará a ficar a sede, tal como anunciou o CEO da empresa, Wayne Griffiths.

A nova sede surge com um design que faz lembrar um paddock de um circuito, um open space com 2.400 m2 de área, que terá em seu redor um terreno com 10.500 m2, repleto de vegetação, o qual prevê uma zona para eventos. A nova sede é substancialmente maior do que anterior, dividida por dois andares, o que se compreende, tanto mais que Griffiths antecipa igualmente um incremento em 50% da força de trabalho.

O CEO da Cupra sublinha ainda que a Cupra continua a cimentar a sua posição no mercado, o que será mais evidente com a chegada em breve de novos veículos, que irão incrementar de forma considerável a gama.

Paralelamente, a antiga sede, localizada onde em tempos esteve a Seat Sport, será alvo de uma reformulação completa, de modo a acolher aquilo que a Cupra apelida de Fábrica de Corridas. “Será aqui que vão nascer os nossos carros de competição”, anunciou Antonino Labate, o director de Estratégia, Desenvolvimento de Negócios e Operações da Cupra. De acordo com Labate, o primeiro veículo de corridas a merecer a atenção dos técnicos da nova marca será o Cupra e-Racer, o eléctrico de competição que vai servir de base para o próximo Campeonato do Mundo de Turismos, alimentados por bateria.