Rádio Observador

Macau

Mais de três milhões de pessoas visitaram Macau em maio

O número de turistas (1.598.097) e o de excursionistas (1.798.738) aumentou 10,3% e 43,3%, respetivamente, em termos anuais, totalizando 3.396.835 visitantes em Macau.

Em 2018, Macau bateu o número recorde de turistas: 35,8 milhões, um aumento de 9,8% em relação a 2017

JEROME FAVRE/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Mais de três milhões de pessoas visitaram Macau em maio, um aumento de 25,6% em relação ao período homólogo do ano passado, indicam dados oficiais divulgados esta sexta-feira.

O número de turistas (1.598.097) e o de excursionistas (1.798.738) aumentou 10,3% e 43,3%, respetivamente, em termos anuais, totalizando 3.396.835 visitantes em Macau, de acordo com a Direção dos Serviços de Estatísticas e Censos (DSEC).

Por visitante entende-se qualquer pessoa que tenha viajado para Macau por um período inferior a um ano, um termo que se divide em turista (aquele que passa pelo menos uma noite) e excursionista (aquele que não pernoita).

No mês passado, o período médio de permanência dos visitantes foi de 1,2 dias, menos 0,1 dias em termos anuais.

A maioria dos visitantes que entraram em Macau, em maio, vieram do interior da China (2.425.741), mais 30,4% comparativamente a igual período do ano passado.

Os visitantes do Interior da China viajaram principalmente das províncias de Guangdong (1.059.429) e de Hunan (119.401).

Os visitantes de Hong Kong (581.780) e da Coreia do Sul (65.763) aumentaram 20,1% e 1,2%, respetivamente, enquanto o número dos visitantes oriundos de Taiwan (87.837) subiu 4,4%, em termos anuais.

Nos cinco primeiros meses do ano entraram na Região Administrativa Especial de Macau 17.188.780 visitantes, mais 21% em relação a igual período de 2018.

Em 2018, Macau bateu o número recorde de turistas: 35,8 milhões, um aumento de 9,8% em relação a 2017.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
China

Macau não é como Hong Kong. Pois não

José Álvares
177

Embora ambos fossem entrepostos de comércio, em Macau havia cooperação por parte de Portugal com a China, enquanto em Hong Kong havia apenas o dizer dos britânicos. 

China

Hong Kong, Macau e cultura democrática

Ricardo Pinheiro Alves
209

Os portugueses que foram colocados em Macau durante a administração portuguesa trataram em primeiro lugar da sua vidinha. O que deixaram foi uma cultura de subserviência e aproveitamento oportunista.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)