Foi salvo o urso polar que apareceu a vaguear faminto nas ruas de Norilsk, Sibéria. As autoridades russas capturaram o animal na passada sexta-feira, que foi levado para o zoo Royev Ruchey na cidade de Krasnoyarsk, onde está a ser alimentado e a receber tratamento médico, avança a Reuters.

Sabe-se agora que o urso polar é uma fêmea com cerca de dois anos de idade. A semana passada, as imagens do animal muito magro a vaguear numa cidade industrial da Sibéria, a cerca de 1.500 quilómetros para sul dos seus territórios de caça, tornaram-se virais nas redes sociais.

Acabaria por ficar doente, à beira da morte, e a precisar de tratamento urgente, depois de tentar encontrar comida numa lixeira, segundo fonte da Rosneft, empresa petrolífera, citada pela Reuters, que participou no transporte do urso polar de Norilsk para  Krasnoyars.

O animal, segundo fontes do zoo de Royev Ruchey citadas pelo Siberian Times, sofria de diarreia aguda por ingerir comida putrefacta e passará os próximos dias de quarentena. “O animal está em estado grave, precisa de cuidados urgentes”, explicou o veterinário Georgy Belyanin, responsável por sedar o animal.

Na terça-feira passada, Anatoly Nikolaichuk, chefe do departamento de caça local, relatou à agência de notícias Tass o momento em que se aproximaram do animal pela primeira vez. “Chegamos a 20 metros e o animal não reagiu ao barulho do carro” . Segundo a mesma fonte a última vez que um urso polar foi visto na cidade foi em 1977.

Os ambientalistas afirmam que os animais selvagens estão a sofrer com a redução do ambiente de caça e cm a diminuição do gelo, à medida que o Ártico vai ficando mais quente, e alguns têm-se aventurado para sul à procura de comida.