O jornalista e crítico literário Carlos Câmara Leme morreu hoje, aos 62 anos, em Lisboa, após ter sido sujeito a uma intervenção médica, confirmou à Lusa Nuno Pacheco, jornalista do diário Público, onde aquele trabalhou.

Recorrendo à biografia escrita pelo próprio Nuno Pacheco na página ‘online’ do Público, Carlos Câmara Leme passou também pelo Jornal de Letras e colaborou com as revistas Ler e Colóquio/Letras.

Segundo fonte familiar citada pelo Público, Carlos Câmara Leme foi internado de urgência, na terça-feira, no Hospital de São José, em Lisboa, na sequência de uma hemorragia.

Nascido em Lisboa, em 04 de fevereiro de 1957, Carlos Câmara Leme licenciou-se em Filosofia pela Universidade Católica Portuguesa, com o trabalho de final de curso “O tempo na obra de Eduardo Lourenço: uma aproximação”.

A carreira no jornalismo começa a partir de 1985, primeiro no JL – Jornal de Letras, Artes e Ideias e depois no Público, integrando a equipa fundadora, em 1990.

Colaborou ainda com as revistas Ler e Colóquio/Letras, da Fundação Calouste Gulbenkian. É o autor do livro “Os passos em volta dos tempos de Eduardo Lourenço”, editado pela Verbo em 2014.

O Público ainda que estará a partir das 9h30 de segunda-feira na Casa Mortuária de Alfornelos, de onde sairá o funeral, às 16h, para o cemitério dos Olivais.