Rádio Observador

Elétricos

Porsche copia o Autopilot da Tesla?

Com apresentação em Setembro, são cada vez mais os pormenores conhecidos do Taycan, o primeiro eléctrico da Porsche. Agora surgiu um vídeo do interior, onde é visível “Autopilot”, tal como na Tesla.

Apesar de o Taycan ser o primeiro veículo eléctrico produzido pela Porsche, é mais que provável que este seja o modelo que maior investimento exigiu ao fabricante alemão. É certo que há uma série de custos relacionados com a gama de novos eléctricos que são suportados pelo total das marcas do grupo, com destaque para a Volkswagen, a quem cabe pagar a maior fatia das contas. Mas, ainda assim, num modelo em que tudo é novo, da plataforma às baterias, passando pelos motores e unidades de gestão, a primeira berlina eléctrica da marca vai definitivamente ser um veículo importante para a Porsche, tanto mais que o CEO da Audi tem colocado alguma pressão – e de forma algo dura – sobre a sua “irmã” de Estugarda.

Com apresentação prevista para Setembro, são progressivamente conhecidos novos detalhes acerca do Taycan. Agora surgiu um vídeo do interior, através do site Electrek, onde é visível “Autopilot”, tal como a Tesla denomina o seu sistema de condução semiautónoma. O filme parece ter sido registado por alguém que entrou dentro de uma unidade e se preparou para a conduzir. As imagens podem ter sido recolhidas durante uma apresentação a concessionários, o que seria grave, ou a um grupo restritos de clientes, o que será mais provável. Mas o que importa é que, pela primeira vez, é possível ver em funcionamento o ecrã montado na consola através do qual será possível controlar a maior parte das funções do Taycan.

O autor do filme entra a bordo com uma câmara que parece estar solidária com a cabeça (óculos com registo de vídeo?), liga o carro e, com ele, o ecrã. O selector da “caixa” torna-se visível, com o P de “park”, D de “drive”, R de “reverse” e N de “neutral”, com o condutor a engrenar a marcha-atrás. Primeiro, quem está ao volante anda uns metros para trás, para de seguida se deslocar ligeiramente para a frente, altura em que o vídeo é interrompido.

O pouco que se pode ver do interior parece bem acabado e de aspecto agradável, o que não espanta uma vez que a qualidade de construção é um dos trunfos do Grupo Volkswagen, e já o eléctrico Audi e-tron é exemplar nesse domínio. A surpresa vem do facto de, assim que o modelo foi ligado, ser visível a meio do ecrã a informação “AUTOPILOT READY”. Sucede que Autopilot é algo que todos associam à Tesla, equipamento que a marca monta nos seus veículos desde 2012, quando produziu o primeiro Model S. De todos os sistemas de ajuda à condução disponíveis no mercado, o Autopilot do construtor americano é o mais eficiente e complexo, como aliás prova o facto de ser possível – de forma ilegal e irresponsável – dormir enquanto o Tesla se conduz a si próprio. E nunca ninguém foi apanhado a dormir num automóvel da concorrência, essencialmente porque a “aventura” teria ainda menos probabilidade de acabar bem.

No vídeo, como o veículo parece estar numa garagem, estacionado entre dois outros automóveis, o mais provável é que o Autopilot da Porsche seja um dispositivo apenas de ajuda ao estacionamento, seja para entrar ou para sair do local onde parou.

De momento, o sistema de ajuda à condução mais sofisticado do Grupo Volkswagen é o que foi estreado pelo Audi A8, sendo que o Taycan poderá recorrer a um sistema similar ou a uma versão ligeiramente mais desenvolvida. Importará ver se, também ao nível das ajudas ao condutor, a Porsche vai ou não rivalizar com a Tesla, por exemplo reconhecendo e adaptando a velocidade, ou parando, perante sinais de stop ou semáforos vermelhos.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)