Rádio Observador

Estados Unidos da América

Bilionários norte-americanos pedem a candidatos presidenciais imposto sobre fortunas

19 nomes, incluindo George Soros, divulgaram hoje uma carta onde pedem aos candidatos às eleições presidenciais norte-americanos de 2020 que seja aplicado um imposto sobre as maiores fortunas.

OLIVIER HOSLET / POOL/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Dezanove bilionários norte-americanos, incluindo George Soros, divulgaram hoje uma carta onde pedem aos candidatos às eleições presidenciais norte-americanos de 2020 que seja aplicado um imposto sobre as famílias do país com as maiores fortunas.

“Escrevemos para pedir a todos os candidatos presidenciais, quer sejam republicanos ou democratas, para apoiarem [a criação de] um imposto sobre a riqueza moderado, [que incida] sobre as fortunas de um décimo dos 1% de norte-americanos mais ricos — sobre nós”, afirmam os signatários da carta hoje difundida.

Entre os dezanove nomes que assinam a missiva encontram-se George Soros, o cofundador do Facebook Chris Hughes e os herdeiros dos impérios Hyatt e da Disney.

“O próximo dólar [proveniente] das novas receitas fiscais deve vir dos [norte-americanos] financeiramente mais afortunados, e não dos norte-americanos com rendimentos médios ou baixos”, lê-se na carta do clube dos norte-americanos mais ricos.

“A América tem a responsabilidade moral, ética e económica para taxar mais a nossa riqueza”, argumentam os dezanove signatários, acrescentando que um imposto sobre a riqueza podia ajudar a enfrentar a crise climática – um dos temas que tem estado em destaque na corrida presidencial – melhorar o estado da economia, os resultados da saúde, criar oportunidades e fortalecer as liberdades democráticas. “Instituir um imposto sobre a riqueza é do interesse da nossa república”, sustentam.

Os subscritores da carta enumeram seis razões pelas quais defendem um imposto sobre riqueza: “é uma ferramenta poderosa para resolver a crise climática”, “é um vencedor económico para a América”, “tornará os norte-americanos mais ricos”, “é justo”, “fortalece a liberdade e democracia norte-americanas” e é “patriótico”.

Vários candidatos às eleições presidenciais norte-americanas, nomeadamente Pete Buttigieg, autarca de South Bend, no estado do Indiana, e Beto O’Rourke, antigo membro da Câmara dos Representantes, já manifestaram o seu apoio a esta medida.

No entanto, a carta apresenta a proposta específica da senadora Elizabeth Warren, que planeia tributar as famílias com um património superior a 50 milhões de dólares (o equivalente a 44 milhões de euros).

Nas contas da candidata, seria possível recolher, através da medida, 2,75 biliões de dólares em 10 anos (cerca de 2,41 biliões de euros).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)