Depois de a secretária de Estado da Justiça, Anabela Pedroso, ter justificado os atrasos no atendimento dos serviços para tratar do Cartão do Cidadão com o facto de os utentes das lojas dos cidadãos irem, “sistematicamente”, para a porta dos serviços “antes da abertura do atendimento ao público”, o Ministério da Justiça vem agora corrigir as suas declarações e esclarecer que “o Governo não culpa os cidadãos e assume as suas responsabilidades”.

Numa nota enviada na sequência da notícia do jornal Público com a resposta enviada por Anabela Pedroso ao Parlamento, o ministério tutelado por Francisca Van Dunem admite que “o Governo reconhece que existiu nos últimos meses um problema de capacidade de resposta nos serviços de atendimento do Cartão de Cidadão” e que “de forma a solucionar esta situação rapidamente, desenvolveu um conjunto de medidas”, salientando o empenho “no descongestionamento do atendimento nos balcões de CC, tanto através do aumento do atendimento presencial, como através da implementação de soluções online”.

Ao jornal i, fonte oficial da tutela reforçou ainda que a posição neste novo esclarecimento “vincula todos os membros desta área governativa, ministra e secretárias de Estado”. Na resposta que enviou aos Verdes, Anabela Pedroso referiu também que entre os motivos dos atrasos nos cartões de cidadão estão o aumento da procura devido às novas regras da lei da nacionalidade e do Brexit, bem como o aumento da procura de passaporte eletrónico português.

Na nota enviada, também citada pelo jornal i, o Ministério da Justiça explica: “Todos os cidadãos, com mais de 25 anos e com Chave Móvel Digital ou com leitor de CC,  podem pedir, desde quinta-feira, a renovação do seu CC online, sendo que, nos primeiros quatro dias, 1400 pessoas já optaram por esta via. É também possível fazer o pedido de renovação em 38 Espaços Cidadão da área metropolitana de Lisboa, onde, desde de 20 de maio, foram já pedidos 5.661 novos cartões. Na semana passada, começaram também a ser enviados, via SMS, alertas para a aproximação do fim do prazo de validade do CC já com uma proposta de data e local para o agendamento”.