Rádio Observador

Setúbal

Câmara de Setúbal recusa escala de serviço anual nos Sapadores e refuta acusações

Carlos Rabaçal disse que "são falsas todas as afirmações feitas no comunicado do STAL que serviu de base à convocação da ação de protesto em frente à Câmara Municipal".

Carlos Rabaçal assegurou que as acusações "não têm qualquer fundamento"

FRANCISCO ROMÃO PEREIRA/OBSERVADOR

Autor
  • Agência Lusa

O vereador da Proteção Civil na Câmara de Setúbal, Carlos Rabaçal, disse esta terça-feira ser impensável o regresso a uma escala anual nos Bombeiros Sapadores e desmentiu todas as acusações feitas ao executivo camarário e ao comandante Paulo Lamego.

“Acabámos com esse modelo de uma escala anual há sete anos. Encontrámos uma solução de gestão racional em que os bombeiros fazem as horas extraordinárias que são efetivamente necessárias, com respeito por todos os seus direitos”, disse à agência Lusa Carlos Rabaçal, acrescentando que o regresso a uma escala anual, não só não é necessário como representava um encargo adicional de 690 mil euros para o município.

“Por outro lado, são falsas todas as afirmações feitas no comunicado do STAL (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local) que serviu de base à convocação da ação de protesto que teve lugar hoje [terça-feira] de manhã em frente à Câmara Municipal de Setúbal”, acrescentou o autarca, em resposta às acusações do STAL e de alguns bombeiros.

O referido comunicado do STAL reivindica “horários justos e dignos e uma escala de serviço anual”, ao mesmo tempo que critica a alegada “desregulação horária” na companhia de Sapadores Bombeiros de Setúbal, que dizem penalizar a vida pessoal dos elementos da companhia.

Confrontado com as acusações de alegadas arbitrariedades do comandante da corporação na gestão de pessoal e distribuição de trabalho, Carlos Rabaçal assegurou que as mesmas “não têm qualquer fundamento” e que o comandante faz a gestão do pessoal com base em “critérios técnicos, de eficácia e de eficiência”.

Carlos Rabaçal negou ainda que alguma vez tivessem sido retirados dois bombeiros que estariam a participar no combate a um incêndio para irem buscar uma delegação da Câmara Municipal ao aeroporto de Lisboa, contrariando a informação avançada esta terça-feira de manhã por alguns bombeiros que estiveram na concentração em frente à Câmara Municipal de Setúbal.

O autarca assegurou ainda que a câmara tem vindo a fazer os trabalhos de manutenção indispensáveis ao atual quartel dos bombeiros, mas lembrou que a autarquia pretende dotar a companhia de Bombeiros Sapadores de num novo quartel, que deverá ficar instalado junto ao nó da via rápida de acesso à A2 com a estrada da Graça, numa zona que permite um acesso rápido a toda a cidade.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)