Rádio Observador

Timor-Leste

Portugal e Timor-Leste assinam programa de cooperação de 70 milhões até 2023

139

"A primeira grande área de cooperação entre Timor-Leste e Portugal é a área da educação e do ensino, com natural ênfase na formação em língua portuguesa", afirmou Santos Silva.

O homólogo timorense referiu que a cooperação entre Portugal e Timor-Leste tem sido benéfica para o país no sudeste asiático

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Portugal e Timor-Leste assinaram esta terça-feira, no Ministério dos Negócios Estrangeiros, em Lisboa, o Programa Estratégico de Cooperação (PEC) 2019-2023, iniciativa com um envelope financeiro indicativo de 70 milhões de euros.

O acordo entre os dois países lusófonos foi assinado na tarde desta terça-feira pelo ministro dos Negócios Estrangeiros de Timor-Leste, Dionísio Babo Soares, e pela secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, Teresa Ribeiro.

Na conferência de imprensa após a assinatura do PEC, o chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva, assinalou o “aumento considerável” face ao protocolo anterior, avaliado em 42 milhões de euros.

“A cooperação entre os nossos países tem sido contínua e tem sido muito clara quanto às prioridades, aos domínios prioritários de cooperação”, referiu o ministro português, que destacou o ensino e a governação como principais alvos.

A primeira grande área de cooperação entre Timor-Leste e Portugal é a área da educação e do ensino, com natural ênfase na formação em língua portuguesa”, afirmou Santos Silva, que sublinhou a presença de 140 professores portugueses que participam nos centros de aprendizagem e formação escolar, um programa que abrange 6.500 alunos timorenses.

O chefe da diplomacia portuguesa destacou também o projeto FOCO – Formar, Orientar, Certificar e Otimizar, que envolve a Universidade Nacional de Timor-Leste e que “procura formar formadores”, visando o ensino, em língua portuguesa, de cursos nesta instituição.

A “existência e atividade” da Escola Portuguesa Ruy Cinatti, que conta com 63 professores e mais de mil alunos, foi também elogiada por Santos Silva, que destacou o papel deste estabelecimento de ensino, “de que têm também beneficiado funcionários da administração pública timorense”.

No âmbito da governação e do Estado de Direito, Augusto Santos Silva considerou que esta é uma “cooperação especialmente importante porque toca aspetos nucleares da soberania dos dois países.

Temos hoje o gosto de termos elementos das forças e serviços de segurança portugueses a trabalhar em Timor-Leste com os seus congéneres timorenses, temos o gosto de ter também magistrados portugueses a trabalhar em Timor-Leste – em cooperação, exercendo naturalmente funções não judiciais, mas de apoio aos seus colegas timorenses -, e temos também militares timorenses a frequentar cursos de operações militares em Portugal”, afirmou Augusto Santos Silva.

O ministro português assinalou também que Portugal gere, em nome da União Europeia, vários projetos em Timor-Leste, tendo enumerado alguns.

“Está em fase de encerramento o programa de combate às alterações climáticas, que representou quatro milhões de euros, e está em curso o programa de apoio às finanças públicas em Timor-Leste, que representa um valor de 30 milhões de euros, e ambos têm a sua gestão delegada numa parte importante em Portugal, no nosso instituto Camões”, explicou.

Augusto Santos Silva recordou o referendo que decidiu a independência timorense, que este ano celebra duas décadas.

O homólogo timorense referiu que a cooperação entre Portugal e Timor-Leste tem sido benéfica para o país no sudeste asiático.

“Timor-Leste tem vindo a usufruir de vários resultados positivos no âmbito da cooperação que tem tido com Portugal, principalmente na área da educação, justiça, governação e outras áreas mencionadas pelo senhor ministro”, afirmou Dionísio Babo Soares.

“Posso dizer-vos que estamos num bom caminho e a assinatura do documento de hoje reforça mais esses laços de cooperação”, concluiu o governante timorense, que expressou vontade em continuar o estreitamento das relações entre os dois países.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)